COE: Tropa de elite localiza e prende ladrão e sequestrador na mata

Após sequestrar e roubar um furgão, usando uma metralhadora, o criminoso se esconde na floresta para fugir da Polícia. O COE atrapalhou seus planos
Foto: foto: COE / Divugação
Dois PMs do COE entrando na mata, no início do cerco ao fugitivo. Diferente de outros tipos de policiamento, os homens do COE são praticamente autosuficientes, carregando inúmeros equipamentos de sobrevivência que os permite passar dias dentro da selva. Repare na altura e densidade da vegetação.

Dois Policiais Militares de Área estavam fazendo a sua ronda normal, perto das obras de extensão do Rodoanel, quando viram um furgão FIAT Fiorino parado e um indivíduo do lado de fora, segurando um objeto suspeito. Decidiram investigar. Ao se aproximar, notaram que era uma submetralhadora e imediatamente deram o voz de prisão. O suspeito fugiu e entrou dentro de uma mata densa e fechada. Nesse momento essa ocorrência se transformou numa missão para os Comandos e Operações Especiais, o COE.

Leia também:  Comandos e Operações Especiais - Conheça a tropa de elite da PMSP

 O COE é um tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo especializada na resolução de crises complexas que acontecem em áreas rurais, matas e florestas, e que exigem treinamento e equipamentos altamente especializados. Para se ter uma ideia, dos cerca de 180 PMs que iniciam seu duríssimo curso de seleção, apenas 10% terminam.

“Fomos acionados às 8:30hs da manhã pelo COPOM e antes das 9:00hs meu Pelotão, composto por 19 Policiais divididos em 4 viaturas chegou ao local. Os PMs de Area que nos acionaram já haviam cercado parte da área e prendido um dos suspeitos. O local da construção dos alicerces dos novos viadutos do Rodoanel, apesar de ser aberto, era cercado por grandes extensões de mata, que passa dos dois metros de altura e por floresta nativa com relevo acidentado."

Leia também: Se o problema é sério chame a Polícia Militar. Se é impossível chame o GATE

"De posse dos detalhes que os PMs de Área nos passaram, iniciamos a avaliação tática da situação, que incluiu, entre outros detalhes o tipo do terreno, sua topografia, extensão e análise da vegetação. Dei instruções para os Observadores Avançados se posicionarem nas partes altas e dividi meu Pelotão em duas Equipes de Incursão”, relata o Tenente PM Vinicius.

Foto: foto: COE / Divlgação
Enquanto as Equipes de Incursão entram na mata, outros Policiais estabelecem e patrulham o perímetro em torno da área onde o fugitivo é procurado

Os Observadores Avançados possuem várias funções, a mais conhecida é de serem atiradores de elite que usam sofisticados rifles com capacidade para efetuar disparos extremamente precisos em distancias que podem ultrapassar um quilometro. Com visão privilegiada da área de crise, as principais funções do Observador são: 1) Passar informações táticas. 2) Localizar o alvo. 3) Proteger as Equipes de Incursão.

Leia também: Um dia na vida de um Policial de ROTA

O Observador Avançado é um Policial que normalmente trabalha e toma decisões sozinho com bastante autonomia. Uma vez posicionado, ele não pode ser visto e por isso seus movimentos e sua comunicação com o comando são bastante restritos. O Observador acompanha à distância o deslocamento das Equipes de Incursão, e além de passar informações, a mantém protegida. Caso julgue que o alvo está prestes a tomar uma ação hostil, ele pode efetuar o disparo e neutralizar a ameaça sem pedir autorização previa. Lembre-se que nesse caso, a informação que o COE possuia era que o suspeito escondido na mata portava uma submetralhadora.

Foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
O Observador Avançado do COE possui várias funções, a mais conhecida é de ser um atirador de longa distancia, ou 'Sniper'

“Parte básica do treinamento do COE é o rastreamento, então uma das primeiras ações que tomamos foi determinar o ponto de entrada do suspeito na mata e seguir seus rastros. Fazemos isso de forma furtiva, nos deslocando em silencio e avaliando todas as marcas. Ao achar um sinal, sabemos se é recente ou antigo e quando o suspeito passou por aquele ponto”, diz o Tenente.

Um pouco antes das 9:30hs, com os Observadores Avançados posicionados, as Equipes entram na mata. O Sargento PM Leandro e os Soldados PMs Neto, Silva, Lopes e Lovato, desaparecem no verde e iniciam a sua parte do movimento de pinça para cercar a área do provável esconderijo do suspeito. Cerca de 40 minutos mais tarde o fugitivo teve uma surpresa. A equipe do Sargento achou e seguiu seu rastro até avistá-lo deitado. Fizeram a aproximação e quando estavam praticamente sobre ele deram voz de prisão. Foi só então que o fugitivo olhou para cima e viu 5 armas apontadas em sua direção, seguradas por soldados camuflados.

Foto: COE / Divlgação
Após passar cerca de 2 horas escondido na mata o suspeito foi localizado e preso. Note a metralhadora falsa, feita de metal, dentro da viatura do COE

“Ele deve ter levado um susto, não viu a aproximação nem a preparação da abordagem. Dentro da mochila encontramos a metralhadora, uma arma de brinquedo, de airsoft, feita de metal idêntica a uma de verdade. Ao invés de se entregar no início, junto com seu comparsa, o suspeito correu o risco de se confrontar com o COE com uma arma de paintball”, relata o Tenente Vinicius.

Leia também: Polícia Militar dá aula gratuita de civilidade para black blocs

Na delegacia os suspeitos se mantiveram calados. O motorista do furgão, que havia sido sequestrado, disse que os dois criminosos entraram no carro e o obrigaram a dirigir por meia e depois o soltaram. Provavelmente o local onde os bandidos foram encontrados, na área de construção do Rodoanel, era um ponto de encontro com comparsas para transferência da carga.

“Essa foi uma operação boa, todo nosso treinamento foi colocado em prática. Trabalhamos em conjunto e dando apoio aos Policiais Militares de Área, duas prisões foram feitas, a carga foi recuperada e ninguém saiu ferido, incluindo os dois suspeitos”, termina o Tenente Vinicius.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-09-18/coe.html