Num ato de selvageria primitiva, grupo de manifestantes pisoteia e cospe na bandeira do Brasil, nas comemorações de 7 de setembro. Veja o vídeo abaixo

O que escrever sobre um grupo que, portando bandeiras negras com o símbolo do anarquismo, pisam e cospem na bandeira do Brasil, justamente no dia 7 de setembro? Dizer que os black blocs são violentos e ignorantes? Que a ação deles remete àquelas dos nazistas e fascistas? Pensei em escrever um texto pesado, expressando minha revolta contra as inacreditáveis  cenas deste video  feito pela Ponte Jornalismo. Mas aí caiu a ficha, esse é um que vídeo possui uma potente mensagem positiva.

Leia também: Batalhão de Choque do Estado de São Paulo defende a democracia

Apesar desses atos de selvageria primitiva protagonizados pelos  black blocs , este vídeo não se trata deles nem dos valores que defendem. Até porque eles já conquistaram o lugar que a história lhes reservou: a irrelevância. A verdadeira mensagem, aquela que será lembrada no futuro, foi dada por outro grupo que não tinha nada a ver com essa infame demonstração: a Policia Militar do Estado São Paulo.

Acompanhe o raciocínio abaixo, e no final da matéria, se quiser, faça seus comentários.

1- Imagine o seguinte cenário:

Você e seus 30 amigos estão andando na rua e se deparam com um grupo pisando e cuspindo no símbolo máximo do nosso país. O que vocês fariam? Nada? E se alguns mascarados, ainda cuspindo e pisoteando nossa bandeira, ficassem agressivos e passassem a gritar e xingar você e seus 30 amigos. Vocês continuam imóveis? Agora a situação passa para outro nível: os black blocs correm na sua direção, ficando a centímetros do seu rosto. Você e seus 30 amigos ainda não reagiriam?

2) Como os PMs reagiram no mundo real?

Cerca de 10 Policiais formaram uma linha, a uns 10 metros de distância dos arruaceiros, e mais 10 ou 15 PMs se posicionam mais atrás. Quando os black blocs iniciam o ataque à bandeira do Brasil, apenas um Policial sai de formação e sem esboçar nenhum sinal de agressividade, e evitando o confronto, rapidamente recolhe a bandeira do chão e recua.

3) O que os black blocs decidem fazer?

Uma moça avança em direção ao Policial para arrancar a bandeira de suas mãos. O Policial protege a bandeira e não reage contra a manifestante. Ao ver esta cena, alguns black blocs não hesitam e avançam em direção à linha de PMs para “resgatar” a bandeira, aumentando a gritaria e ofensas, chegando à poucos centímetros dos Policiais.

4) Como a Policia Militar termina essa situação?

Novamente apenas um PM sai de formação, dá alguns passos para frente e efetua 3 disparos de balas de borracha, tomando o cuidado de elevar um pouco o angulo de sua arma para que os projeteis passem sobre os manifestantes. Três ou quatro latas de fumaça também são lançadas. Os black blocs recuam e a situação é controlada.

Mas, ainda há um ato final nesta ocorrência. Ao fugir, os baderneiros deixam para trás uma bandeira do Estado de São Paulo jogada no asfalto. Sem hesitar, um Policial Militar caminha em sua direção e a pega do chão. Segurando alto, com as duas mãos, ele mostra para os black blocs a bandeira que ele jurou defender. Um conceito que os arruaceiros não entendem.

O que sobra destes 50 segundos de imagens? De um lado uma verdadeira aula de civismo e civilidade ministrada pela PM e de outro os black blocs, um grupo que confunde a sadia exposição de sentimentos de inconformismo e da democrárica luta por ideais, com a geração do caos através violência física, da depredação do patrimônio publico e privado, e da aniquilação de pensamentos e valores que não sejam os seus.

É fácil saber qual das duas mensagens irá prevalecer, a história é uma professora implacável.

Aula de civilidade ministrada pela Polícia Militar aos black blocs
Ponte Jornalismo
Aula de civilidade ministrada pela Polícia Militar aos black blocs


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.