Canil da PM "fareja" todos os tipos de criminosos em São Paulo

Nesta semana foram três ocorrências que provaram que esses homens e cães são imprescindíveis para a paz do cidadão de bem na capital paulista

A combinação entre o homem e o cão é muito conhecida. No Canil da PM essa relação ganha ainda mais sentido. Mas se essa proximidade tem uma importância muito grande para você cidadão de bem, a criminalidade por, outro lado, paga um preço alto.

Leia também: ROCAM não deixa passar nada e vai esmagando os criminosos em São Paulo

Hoje vamos narrar para vocês três ocorrências de muito tato, quero dizer, faro. Duas delas serão contadas pelo Tenente Codelo e outra pelo Tenente Miranda, ambos são Policiais do Canil da PM . Acompanhe e conheça esse grande trabalho realizado pelo Batalhão de Choque.

Ocorrência 1: "Errei e vou pagar"

Na tarde dessa quarta-feira (30), o Pelotão de Operações com Cães 2 do Canil Central seguia para Guarulhos para participar de uma ação de saturação contra o crime. Mas no meio do caminho tinha um tráfico.

Foto: Divulgação
Canil da PM fez apreensão de drogas bem sucedida na zona norte de São Paulo

"A nossa equipe passava pela rua Maria Alice na região do Jaçanã, zona norte, quando avistou um homem em atitude suspeita. Esse local já é muito conhecido pelo movimento do tráfico de drogas. Fizemos a abordagem desse rapaz e com ele não encontramos nada", disse o Tenente Miranda.

Leia também: Correu, farejou, achou: Canil da PM vai desmontando o crime em SP

Quando a Polícia para e desembarca das viaturas, o criminoso tem duas chances: a primeira é durante a abordagem, se o suspeito não tem nada, talvez ele escape, mas a PM não desiste e se suspeita que existe algo de errado ela insiste. A segunda é durante a revista, conseguir escapar da revista de um Policial já duro, agora, não ser pego por um cão é quase impossível.

"Nós abordamos esse suspeito e com ele não tinha nada. Só que durante a nossa conversa, ele disse que realmente participava do movimento do tráfico de drogas. E acabou permitindo que fizéssemos uma revista dentro da casa dele. Ele morava dentro de um pequeno cômodo ali mesmo naquela rua", conta o Tenente.

A princípio eu e você podemos até achar que ele realmente estava limpo, mas quem vai dizer que não é a cadela de faro Cloe conduzida pelo Soldado Loureiro. "O homem deixou a gente entrar na casa dele, acho que ele acreditava nos esconderijos que ele tinha escolhido. Ele não sabia que a gente estava com os cães. Quando ele notou a presença da Cloe, ele já deve ter ficado assustado. Foi coisa de dois minutos e a droga já tinha sido encontrada dentro da máquina de lavar e em baixo do botijão de gás. A gente chegou na hora certa, ele ainda ia começar a vender a droga, então pegamos uma boa quantidade de material ilícito", conta o Tenente Miranda.

Com o criminoso, os Policiais encontraram um tijolo de maconha, 25 porções médias e 5 pequenas da mesma droga, além de 55 invólucros de cocaína. Ele foi encaminhado para o 73º Distrito Policial e vai responder por tráfico. "Ele acabou assumindo o crime e disse: 'Errei e vou pagar pelos meus erros'," encerra o Tenente.

Ocorrência 2: Limpando o Brás

Se você é um cidadão de bem, acredito que só queira o visitar o Brás para comprar roupas ou qualquer outro tipo de produto, menos drogas! Porém, o tráfico teima em deixar a região poluída. Quem foi limpar a região para você foi a equipe do Tenente Codelo. Entenda:

"Nós recebemos uma denúncia de tráfico de drogas na rua Doutor Almeida Lima. Fomos então averiguar e encontramos um homem em atitude suspeita no local indicado. Assim que abordamos, não teve como mentir. Achamos 4 porções de maconha, 3 de crack e 3 de cocaína com ele", disse o Tenente.

Leia também: Quando o Canil da PM está nas ruas, o tráfico não consegue esconder nada

Foto: Divulgação
Canil da PM mais uma vez combateu o tráfico de drogas

Quando encontraram as drogas, os Policiais começaram a fazer uma série de perguntas para o suspeito. Geralmente, nessas horas eles acabam se entregando.

"O homem acabou revelando que morava em um cortiço ali mesmo naquela rua. Aí levamos o Cão Aruck para realizar o trabalho dele. Conduzido pelo Soldado Eduardo, o cão-policial acabou indicando positivamente para a presença de droga no teto da moradia. Ali, nós apreendemos 51 porções de maconha, 68 de cocaína e mais 37 de crack. E também mais 60 reais do movimento do tráfico", finaliza o Tenente.

Com a limpeza do tráfico concluída, o criminoso foi encaminhado para o 8º Distrito Policial e vai responder por tráfico de drogas. "Esse tipo de ação é comum na região, então ficamos bem ligados para coibir. Também participaram dessa ação: o Cabo Pazim e o soldado Eduardo condutor do cão Aruck", revela o Tenente.

Foto: divulgação/canil da PM
Droga encontrada pelo Cão Aruck nesta semana em cortiço no Brás


Ocorrência 3: do salão para prisão

A equipe do Canil Central da PM composta pelo Tenente Codelo, Cabo Assumpção, Soldado Nickel e Soldado Jankauskas realizava um patrulhamento pela Rua Silvério de Carvalho, Brasilândia, quando experimentou aquela velha frase que dizia: 'na hora certa e no lugar certo'.

"Estávamos na região e quando a proprietária de um salão avistou a nossa viatura, acabou pedindo nossa ajuda. Ela e suas clientes tinham acabado de serem roubadas. Elas passaram as características do criminoso e coube a nós realizar a prisão", disse o Tenente.

Leia também: Canil da PM tem melhor amigo do homem e pior inimigo do crime

O que os PMs não sabiam é que a busca pelo meliante iria demorar tão pouco. "A equipe em menos de cinco minutos acabou detendo o acusado. Ele havia roubado em torno de R$140, mas só achamos R$ 60. Acreditem se quiser, ele disse que já havia gastado uma certa quantia com pinga, bebida em um bar.", revela o Tenente Codelo.

O homem saiu do bar direto para o 40º Distrito Policial e vai responder por roubo. Ele já tinha passagem pela Fundação Casa e agora vai passar uma temporada atrás das grades. Cortesia do Canil da PM.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-09-01/canil-pm.html