Ex-médico foi condenado por estuprar pacientes em sua clínica de reprodução humana e estava internado no hospital Albert Einstein

O ex-médico Roger Abdelmassih foi capturado em 2014 pela PF após se esconder no Paraguai
Divulgação Polícia Federal
O ex-médico Roger Abdelmassih foi capturado em 2014 pela PF após se esconder no Paraguai

O ex-médico Roger Abdelmassih deixou nesta sexta-feira (25) o Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário, no antigo complexo Carandiru, e foi transferido para a Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. A informação foi confirmadapela Secretaria de Administração Penitenciária e a transferência ocorreu na noite de ontem (24).

Leia também: Número de acidentes com embarcações têm alta de 12,6% no Brasil em 2017

Roger Abdelmassih estava no centro hospitalar desde o dia 18 de agosto, após decisão tomada pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), que cassou a liminar que permitia que o ex-médico cumprisse a pena em prisão domiciliar.

Abdelmassih cumpria, desde julho, prisão em regime domiciliar. No início deste mês, após autorização judicial, o ex-médico esteve internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, devido a uma infecção urinária. A Justiça determinou que, após a internação, ele voltasse ao sistema prisional, mas os advogados de defesa do ex-médico entraram com um habeas corpus para garantir que ele voltasse ao regime domiciliar.

No dia 13 de agosto, os advogados obtiveram a liminar . O Ministério Público, no entanto, pediu reconsideração da liminar e a Turma Julgadora do Tribunal decidiu, no dia 17 de agosto, mandar Abdelmassih novamente para o sistema prisional para o cumprimento da pena.

Histórico

Em 2010, o criminoso havia sido condenado a 278 anos de prisão devido aos estupros comprovados por diversas pacientes, que ocorreram entre 1995 e 2008, em seu consultório, onde ele atuava como especialista em reprodução in vitro.

Somente em 2009, Abdelmassih teve seu registro profissional cassado. Sendo assim, ele fugiu, em 2011, com sua esposa, enquanto gozava de habeas corpus concedido pelo então presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes. Apenas em 2014 ele foi capturado, no Paraguai, e está preso até hoje.

O ex-médico foi condenado por diversos crimes de estupro e atentado violento ao pudor, e estava, desde 2014, encarcerado no presídio de Tremembé, localizado no interior de São Paulo.

Leia também: Número de usuários de ônibus cai 18% em três anos, diz pesquisa

Diante da decisão de suspender o mandado de segurança, o magistrado ressaltou que “o ingresso em regime de prisão domiciliar para preso que tem histórico de evasão só pode ser obtido em hipótese de absoluta necessidade”, decretando, assim, o retorno do Roger Abdelmassih para a cadeia.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.