Grão-Mestre do Grande Oriente de São Paulo fala sobre a Ordem que completou 195 anos no Brasil

Muitas pessoas já ouviram falar, mas pouco se sabe sobre ela. A Maçonaria é uma entidade filantrópica que tem como propósito reunir pessoas comprometidas com o bem comum para atuar na defesa das mudanças sociais. Completando 195 anos no Brasil em 2017, a origem da Ordem se deu em 1822, mesmo ano em que um movimento de maçons brasileiros liderados principalmente por Gonçalves Ledo e José Bonifácio de Andrade e Silva culminou na Proclamação da Independência do Brasil.

Leia também: PF conclui que senador José Agripino recebeu R$ 2 milhões em propina da OAS

Maçonaria completou 195 anos no Brasil
Felipe Micaroni Lalli/Creative Commons
Maçonaria completou 195 anos no Brasil

Além do Sete de Setembro, a maçonaria  também esteve presente em outros momentos fundamentais da história do Brasil, como na Proclamação da República, na Abolição da Escravatura, na redemocratização do País e em outros eventos marcantes, sempre como protagonista na luta pelo progresso e evolução da nossa Pátria. Nos dias atuais, ela luta pela mudança do cenário de crise política e econômica do Brasil, junto com outras organizações da sociedade civil.

Quem explica isso é Benedito Marques Ballouk, Grão-Mestre Estadual do Grande Oriente de São Paulo (GOSP) - título dado ao "número um" da organização maçônica no estado.

“Um exemplo dessa atuação hoje é o Grupo Estadual de Ação Política (GEAP-SP). Uma iniciativa que tem por objetivo lutar pela construção de uma classe política brasileira composta por pessoas comprometidas com os valores éticos, com a Pátria e com o bem comum”, conta.

O Grão-Mestre explica que a estrutura de ação do GEAP é simples. Os maçons recebem os candidatos eletivos em reuniões nas Lojas Maçônicas que os indicaram e deles buscam compromissos que visam resgatar a ética e a cidadania. Mais do que isso, esse grupo político também atua identificando potenciais lideranças maçônicas ou de outras esferas sociais que possam representar esses ideais da transformação, para o bem da sociedade. Todos esses candidatos podem, então, solicitar o apoio da Maçonaria, sendo possível até mesmo orientá-los sobre o processo de filiação aos partidos políticos antes mesmo das coligações, participando assim da formação estratégica dessas lideranças.

Leia também: veja o que mudará no sistema eleitoral

“Nas eleições de 2016 a Maçonaria paulista apoiou 27 candidatos a prefeito em todo o estado e 147 vereadores. Deste total foram eleitos 28 representantes do Legislativo, três vice-prefeitos e 10 prefeitos, entre eles João Dória (PSDB) na capital”, pontua Ballouk.

Desconstruindo mitos

Além deste esforço de identificar lideranças dentro e fora da Ordem e apoiá-las para pleitear os espaços hoje ocupados pelos corruptos, a Maçonaria ainda enfrenta a desinformação. Uma parte importante da população ainda alimenta uma visão errada, vendo a Ordem como uma seita mística ou com algum tipo de plano de dominação mundial. Nenhuma dessas conjecturas fantasiosas é real.

Ballouk explica que essa série de mitos foi construída durante séculos e foi alimentada pelo preconceito e pelo medo do desconhecido. Foi daí que surgiu e cresceu o estigma de sociedade secreta, que também não é correto atualmente. Segundo ele, a Maçonaria é apenas uma sociedade discreta e não é, como muitos pensam, uma religião. Ao invés disso, congrega pessoas de diferentes credos em um ambiente de harmonia, paz e confiança entre seus membros.

“O objetivo maior da Ordem é ser uma escola de vida para aqueles interessados em fazer um mundo melhor. Assim, as reuniões realizadas nos templos maçônicos não são cultos, mas encontros em que são discutidos temas variados, de filosofia a história e atualidades. Maçom em sua origem, significa ‘pedreiro’. Se num passado remoto esses construtores erguiam catedrais e monumentos, hoje eles edificam obras de transformação social – e não são poucas. As iniciativas filantrópicas são uma preocupação permanente de todas as Lojas maçônicas no estado de São Paulo”, comenta o Grão-Mestre do GOSP.

Nessa área, um dos principais projetos empreendidos pela Maçonaria é o Instituto Acácia de Responsabilidade Social. Criado em 2009 e em constante evolução, ele foi idealizado para proporcionar maior integração às ações de tecnologia social das entidades de assistência ligada às Lojas filiadas à Maçonaria.

Leia também:  Ex-presidente da Petrobras, Aldemir Bendine é denunciado na Lava Jato

“O objetivo é um só: interligar as obras sociais e permitir que o apoio mútuo sirva como combustível para que cada vez mais pessoas sejam alcançadas. Este é um órgão de terceiro setor pronto e preparado para atender as necessidades advindas e relacionadas às outras iniciativas privadas de utilidade pública. Como uma OSCIP, o Instituto está habilitado a colaborar com as entidades associadas, inclusive na captação de recursos do terceiro setor para os projetos sociais”, finaliza.

GOSP

Fundado em 29 de julho de 1921, o GOSP é a instituição Maçônica mais antiga presente no estado de São Paulo, federado ao Grande Oriente do Brasil e reconhecido pela Grande Loja Unida da Inglaterra. Em seus 95 anos teve presença marcante na história do estado, como na Revolução Constitucionalista de 1932. Atualmente o GOSP é composto por 24 mil maçons presentes em todo o estado nas mais de 800 maçonarias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.