Tamanho do texto

Após megaoperação que prendeu 38 traficantes, prefeito de São Paulo garantiu que área não será mais um ponto frequente de venda de drogas, mas as ruas já estão tomadas de usuários 24 horas após a operação

Neste domingo (22), a Prefeitura SP realizou uma megaoperação para acabar com o tráfico na região da cracolândia. A ação contou com cerca de 900 policiais e terminou com a prisão de 38 suspeitos.

Leia também: Rocam prende suspeito de realizar saques após ação na cracolândia

Doria não vê possibilidade de cracolândia voltar, mas usuários já se aglomeram
Reprodução/TV Globo - 02.01.2017
Doria não vê possibilidade de cracolândia voltar, mas usuários já se aglomeram

Até aí tudo bem, mas nesta segunda-feira em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo,  Doria afirmava que "não havia possibiliade de a cracolândia voltar". Erro da Prefeitura SP . Apenas 24 horas após toda a ação, os usuários já estão aglomerados pelas ruas do centro mais uma vez. A menos de 500 metros do ponto alvo da operação havia duas concentrações de pessoas fumando crack, em frente ao Memorial da Resistência e no canteiro central da Avenida Rio Branco.

Fim da cracolândia

Para o prefeito, a Cracolândia "acabou". "A Cracolândia aqui acabou, não vai voltar mais. Essa área será liberada de qualquer circunstância como essa. A partir de hoje, isso é passado. Vamos colocar câmeras de monitoramento", disse. Segundo ele, os hotéis do programa "Braços Abertos", que atendiam os usuários, da gestão de Fernando Haddad, serão destruídos. 

Muitas promessas são feitas, mas não conseguimos ver nada de concreto. Por enquanto o prefeito Doria só conseguiu espalhar as vítimas das drogas pelo centro de São Paulo

Operação na Cracolândia

Uma grande operação policial para combater o tráfico de drogas na Cracolândia foi realizada pela prefeitura paulistana e o governo do Estado neste domingo (21). A ação teve participação de cerca de 900 policiais civis e militares. Segundo o governador, “foi o primeiro passo para acabar com a Cracolândia”.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, durante a operação de ontem foram cumpridos 28 mandados de prisão temporária na região da Cracolândia e 10 mandados de prisão temporária foram cumpridos em outras regiões da cidade.

“São 38 prisões até agora”, acrescentou o secretário. Mágino disse ainda que um dos presos é conhecido como Fábio e considerado o coordenador do tráfico na Cracolândia. “Temos ainda vários mandados que serão cumpridos ao longo do dia”, destacou. Segundo com ele, três fuzis foram apreendidos em hotéis da região da Cracolândia.

No fim da tarde deste domingo, a prefeitura informou que 105 pessoas da Cracolândia foram abrigadas no Complexo Prates e equipes da prefeitura continuarão fazendo abordagens para tentar novos encaminhamentos.

Leia também: Rocam não facilita vida do crime e prende gerente do tráfico na zona leste de SP

De acordo com o prefeito João Doria, que visitou a Cracolândia, não houve vítimas durante a operação. A ação, afirmou Doria, faz parte do projeto Redenção. “[A operação] foi feita com muita eficiência, sem vítimas, sem violência. No âmbito medicinal e urbanístico, as ações começam agora - as internações dos que são psicodependentes, o atendimento da população em situação de rua que não é psicodependente e a reurbanização da área”, afirmou.

O prefeito de São Paulo também disse que o projeto De Braços Abertos, da prefeitura anterior, foi finalizado. “Não haverá mais pensão, hotel, nenhum tipo de acomodação desse tipo, como existia anteriormente. Toda a área será reurbanizada, os hotéis serão fechados e a área passará por amplo projeto de reurbanização", disse.

O foco do projeto De Braços Abertos (DBA), que funcionou durante a gestão do prefeito Fernando Haddad, era na redução de danos. Na região, existe também o programa estadual Recomeço, que busca dependentes nas ruas a fim de levá-los para tratamento e reabilitá-los para o trabalho. Em casos extremos, são usadas internações involuntárias e compulsórias.

Leia também: Rocam é implacável com o crime nas ruas de São Paulo

Já o projeto Redenção, da atual gestão da Prefeitura SP, pretende erradicar o tráfico de drogas em oito regiões da cidade conhecidas como Cracolândia. O projeto prevê ações em cinco campos: policial, social, medicinal, urbanística e de zeladoria urbana. As iniciativas, segundo a prefeitura, vão envolver grupos de trabalho que serão coordenados por quatro frentes: governo municipal, governo estadual, governo federal e sociedade civil organizada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.