Suspeito recebeu uma multa de R$ 50.000,00 e foi encaminhado para a 2ª. Delegacia Seccional de Campinas, mas vai responder em liberdade

Você pode até achar bonito um balão passando pelo céu da sua cidade, mas precisa saber do perigo que isso representa para população e também para a mata e animais. A Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo faz um trabalho ostensivo para combater a produção e a soltura de balões, e hoje foi mais um dia de sucesso nas operações.

Leia também: Polícia Militar Ambiental atua para afastar balões de aeroportos em São Paulo

Polícia Militar Ambiental realizou grande apreensão de balões em uma fábrica clandestina em Campinas
Divulgação/Polícia Militar Ambiental
Polícia Militar Ambiental realizou grande apreensão de balões em uma fábrica clandestina em Campinas

Durante a tarde desta quinta-feira (20), a Polícia Militar Ambiental realizou a operação balão em Campinas e obteve grande resultado. Os PMs fecharam uma fábrica no fundo de uma residência no bairro Dic VI. Segundo o Tenente Nobrega, no local foram encontrados: 2 balões prontos e mais 8 em fase de acabamento.

"Recebemos denúncias e também fazemos o monitoramento dessas quadrilhas que praticam esse tipo de crime, e acabamos chegando a esse local. O indivíduo alegou que não fabricava balões, mas que apenas recolhia para tentar vender depois", afirmou o Tenente.

Os policiais revelaram que esse tipo de produto tem grande valor de venda e que muitas pessoas tentam recuperar os balões, mas que no caso dessa operação estava claro que existia uma fábrica porque além dos balões também foi achado muitos itens usados na "linha de produção". "Um balão desses pode valer até R$ 4.000,00 para essas quadrilhas que realizam esse tipo de crime", finalizou o Tenente Nobrega.  

O suspeito recebeu uma multa de R$ 50.000,00 e foi encaminhado para a 2ª. Delegacia Seccional de Campinas, mas vai responder em liberdade.

Vasto material apreendido

Além dos dez balões, os Policiais ainda conseguiram apreender 600 rojões de vara, 324 bombas tipo “especial”, 250 rojões de vara com suporte, 288 rojões de 3 tiros, 120 rojões de apito, 70 rojões de vara soltos, 6 rojões de 16 polegadas de 3 tiros, 5 bombas de fumaça, 9 sinalizadores, 3 botijoes de gas, 16 biribas, 3 bandeiras, 25 pavios de 2 metros, 3maçaricos, 5 armações de arame em mal estado de conservação, 7 bocas de balão, 110 rolos de linha com cerol e 923 copos luminosos. 

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende três homens com mais de mil peças de palmito

Entenda melhor os perigos dos balões ilegais

A fabricação e comercialização clandestina de balões representa multiplos riscos para a sociedade, a começar pela aviação. Balões ilegais são um verdadeiro pesadelo para os pilotos, podendo causar desde colisões até a necessidade de efetuar manobras evasivas abruptas, causando interrupção e atrasos de pousos e decolagens.

Balões ilegais também são grandes agressores da população que esta no solo, causando todo tipo de problemas, a começar pela interrupção no fornecimento de energia elétrica. É mais comum do que se imagina, esses artefatos incendários cairem sobre cabos condutores das linhas de transmissão e de distribuição de eletricidade, e até mesmo dentro de subestações, causando curto-circuitos e incendios, e tendo como conseqüência a interrupção de energia em uma grande área da cidade.

Do ponto de vista ambiental, os balões são um dos seus piores inimigos, com grande potencial ofensivo. Ao cair em matas e florestas o incendio é praticamente garantido, causando destruição não apenas a flora, mas também colocando em risco o habitat e vida de animais.

Leia também: Operação da Polícia Militar Ambiental fecha duas fábricas de balões em SP


Denúncias

No mês passado, o iG publicou uma matéria sobre a queda de um balão gigante em Campinas. Segundo o Comando da Polícia Militar Ambiental, esse tipo de publicação facilita o trabalho da polícia já que faz com que o número de denúncias aumente.  Leia aqui a nota na íntegra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.