Foram apreendidos 17 vasos de maconha, além de algumas porções da droga, já embaladas, que estavam dentro da mochila dos graduandos envolvidos

Jovens cultivavam a maconha de forma associada e mantinham imagens do desenvolvimento das plantas em seus celulares
Divulgação/PCDF
Jovens cultivavam a maconha de forma associada e mantinham imagens do desenvolvimento das plantas em seus celulares

Uma pequena plantação de maconha foi encontrada dentro do campus da Universidade de Brasília (UnB), na tarde da última quarta-feira (19), por policiais civis da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord). As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (20) pela Polícia Civil do Distrito Federal. 

Leia também: "O rato comeu toda maconha": polícia culpa roedores por sumiço de 25 kg de droga

Segundo a corporação, a plantação de maconha era cultivada por dois estudantes de Engenharia – de Redes e Mecânica – e por um ex-aluno, já graduado em Administração. De acordo com as investigações, os jovens, de 21, 22 e 29 anos, cultivavam a maconha de forma associada e mantinham imagens do desenvolvimento das plantas em seus celulares.

No local onde as plantas foram encontradas, estavam também garrafas PET de água, que eram usadas para irrigar os vasos, além de veneno para formiga e adubo. Ao todo, foram apreendidos 17 vasos de maconha e algumas porções da droga, já embaladas, que estavam dentro da mochila dos jovens. 

Consumo próprio também é crime

Dois dos envolvidos responderão por tráfico privilegiado – que é quando a pessoa oferece droga, eventualmente, e sem o objetivo de lucro, a outra pessoa, para que juntos possam consumi-la – e por plantio para consumo próprio.

Leia também: Governo do Canadá pretende legalizar a maconha até julho de 2018

Por tais crimes, eles podem receber penas de sete meses a um ano e oito meses de detenção e multa. A pena deverá ser agravada por conta do crime ter sido praticado dentro de um estabelecimento de ensino. 

O terceiro estudante envolvido, que estava sendo aprovado para o concurso de oficial do Corpo de Bombeiros Militar, foi responsabilizado pela prática do crime de plantio para consumo próprio. A polícia não revelou os nomes dos acusados.

De acordo com o delegado-chefe da Cord, Rodrigo Bonach, já havia uma investigação, por solicitação do Ministério Público, para apurar o tráfico e consumo abusivo de drogas nas dependências da UnB, em decorrência de fatos graves, no ano de 2016, envolvendo consumo abusivo de drogas e álcool em centros acadêmicos.

“É importante ressaltar que o plantio e posse de maconha continuam sendo crimes pela legislação vigente, o que enseja obrigatoriamente a repressão policial. Apesar de as penas serem brandas, fatos como tais, podem acarretar consequências graves à futura vida profissional dos estudantes, gerando antecedentes criminais”, destacou o delegado Bonach.

Leia também: "Parece com vinho": cientistas descobrem genes que determinam sabor da maconha

Após a assinatura de compromisso de comparecimento à Justiça, os três responsáveis pela plantação de maconha foram liberados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.