Mesmo com operação policial, capital do Ceará e região metropolitana registraram ataques a bancos; criminosos exigem transferência de presos

Seis pessoas foram presas por ataques a ônibus em Fortaleza e na região metropolitana da capital do Ceará
Reprodução/Twitter - @betura
Seis pessoas foram presas por ataques a ônibus em Fortaleza e na região metropolitana da capital do Ceará

Ao menos 21 ônibus foram incendiados, três delegacias sofreram ataques e duas agências foram saqueadas num período de 24 horas entre esta quarta e quinta-feira (20) em Fortaleza e na região metropolitana da capital do Ceará.

Leia também: Operação da PF combate desvio milionário da merenda escolar no Pará

A onda de violência no Ceará teve início durante a tarde desta quarta-feira (19), quando pelo menos 18 ônibus foram incendiados por criminosos. Em um dos ataques, os autores da ação deixaram um bilhete exigindo a transferência de presos de uma penitenciária estadual.

Segundo informações do jornal Diário do Nordeste , além dos veículos de transporte coletivo, outros quatro carros usados por empresas estaduais foram queimados pelos bandidos. 

Apesar de a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará ter colocado em prática nesta manhã uma operação policial especial em resposta aos atos ocorridos no dia anterior, mais três ônibus foram incendiados  nas primeiras horas desta quinta-feira. Segundo o Sindicato das Empresas do Transporte de Passageiros (Sindiônibus), as ocorrências foram nos bairros Vila Velha, Padre Andrade e Mucuripe. Os veículos foram totalmente queimados, mas ninguém se feriu.

De acordo com informações da Rede Globo , delegacias e um banco foram alvos de rajadas de tiros em Fortaleza e em Maracanaú. Os ataques ocorreram na delegacia de Pajuçara, no 33º Distrito Policial do bairro Goiabeiras, e também no 8º Distrito Policial, no bairro José Walter. Ninguém ficou ferido.

Leia também: Ibope: rejeição a Lula cai e petista é candidato com maior espaço para crescer

Apreensão

Além de ônibus, carros da Companhia de Água e Esgoto, da Enel Distribuição e do Demutran também foram incendiados
Reprodução/Twitter - @betura
Além de ônibus, carros da Companhia de Água e Esgoto, da Enel Distribuição e do Demutran também foram incendiados

A população que depende do transporte público para se deslocar ficou apreensiva sem saber se os ônibus circulariam normalmente nesta manhã. “Eu planejei ir hoje para a faculdade quando ouvi as notícias dos novos ataques. Comentei com a minha mãe e ela pediu para eu não sair. Coisa de mãe a gente sempre confia”, conta o estudante Ítalo Bernardo.

Seis pessoas foram presas suspeitas de participarem dos ataques. O secretário da Segurança Pública, André Costa, declarou em entrevista coletiva que “todas as pessoas que participaram das ações criminosas não ficarão impunes e responderão pelas condutas praticadas. A Segurança Pública não vai desviar dos rumos que vem adotando contra a criminalidade”. 

A SSPDS informou ainda que, além dos ônibus, também foram incendiados dois veículos da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e outro da Enel Distribuição Ceará nos bairros Jangurussu, Vila União e Jardim das Oliveiras, respectivamente. Uma viatura do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) da Caucaia também foi queimada por criminosos.

Ainda na noite desta quarta-feira, algumas empresas recolheram os veículos nas garagens até o fim da noite, quando a Secretaria de Segurança Pública anunciou o esquema para garantir o serviço.

A orientação do Sindiônibus para esta quinta-feira é de que as empresas mantenham a circulação das linhas normalmente. Pela manhã, a movimentação nos terminais de ônibus estava abaixo do normal, o que indica que muitos optaram por evitar o transporte coletivo por medo da onda de violência no Ceará.

Leia também: Nova lei sancionada por Temer institui o Dia Nacional do Perdão

*Com informações e reportagem da Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.