Ônibus param de circular no ES após sindicalista ser morto a tiros nesta quinta

Presidente de sindicato dos Rodoviários de Guarapari foi encontrado morto em carro na cidade de Vila Velha; ônibus tinham voltado a circular hoje
Foto: Reprodução/Facebook
Wallace Brandão foi encontrado morto a tiros em carro na manhã desta quinta; Espírito Santo vive caos

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Guarapari, Wallace Barão, foi encontrado morto a tiros dentro de um carro da Viação Sanremo, no bairro Alvorada, em Vila Velha (ES). Depois da confirmação de sua morte, os rodoviários voltaram a parar na região metropolitana de Vitória.

LEIA MAIS: Governo do ES tem hoje nova reunião para negociar fim de greve dos PMs

O sindicalista foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira, próximo à garagem da Viação Sanremo, segundo confirmou a Polícia Civil do Espírito Santo . O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa e, até o momento, nenhum suspeito foi detido.

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários) Edson Bastos, os ônibus retornaram às garagens e só voltam a circular quando a segurança for restabelecida no estado. “O governo nos prometeu segurança. Alguns terminais de ônibus tinham tropas do Exército, outros não. Tivemos motoristas ameaçados com armas. Não dá para trabalhar dessa forma”, disse Bastos.

Forças Armadas

O estado vive situação caótica e precisou recorrer à ajuda do Governo Federal. Mas, a partir desta quinta-feira, as cidades devem contar com o patrulhamento de 1.850 homens das Forças Armadas e da Força Nacional.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta quarta-feira (8) que a Operação Capixaba recebeu o reforço de 550 militares das Forças Armadas. Além disso, mais 100 integrantes da Força Nacional de Segurança Pública chegarão a Vitória até hoje e farão patrulhamentos em municípios do interior. Eles se juntam aos mil homens do Exército e aos 200 da Força Nacional que já estão patrulhando as ruas da região metropolitana da capital.

LEIA MAIS: “Nada me assegura que vou sair de casa e não morrer”, conta estudante do ES

O governo do estado ainda transferiu nessa quarta-feira o controle operacional dos órgãos de segurança pública para o general de brigada Adilson Carlos Katibe, comandante da força-tarefa conjunta e autoridade encarregada das operações das Forças Armadas. Segundo informou, o objetivo desta transferência foi promover a lei e da ordem no estado até 16 de fevereiro.

Violência e homicídios

A Secretaria de Estado de Segurança Pública ainda não divulgou o balanço de homicídios no estado desde o início das manifestações dos parentes dos policiais em frente aos batalhões da PM. A categoria está paralisada desde o último sábado (4).

LEIA MAIS: "Onde vamos achar R$ 500 milhões?", diz governo do ES, que nega reajuste a PMs

Já o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol), Jorge Emílio Leal, informou que foram registrados 105 homicídios até a manhã desta quinta-feira (9) no estado, a maior parte na Grande Vitória.

*Com informações da Agência Brasil

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-02-09/espirito-santo.html