Ex-funcionário de uma construtora no Paraná fazia fotos no local de trabalho e as postava em uma rede social com legendas "desafiando feministas"

Estagiário de uma construtora do Paraná foi demitido após publicações polêmicas nas redes sociais
Reprodução/ Facebook
Estagiário de uma construtora do Paraná foi demitido após publicações polêmicas nas redes sociais

Um estagiário de uma construtora do Paraná foi demitido após usar o cenário da empresa para fazer fotos e utilizá-las em publicações polêmicas em uma rede social. Na legenda das imagens, ele desafia “feministas”.

“Procurando alguma feminista pra ajudar a descarregar. Direitos iguais até chegar a carga de cimento”, escreveu o estagiário na legenda de uma das imagens. Em outro momento, ataca mulheres a quem chama de "aborteiras": "analisando um projeto hidrossanitário onde vai passar os argumentos das feministas, aborteiras, etc" [ sic ]. 

LEIA MAIS: “Nada me assegura que vou sair de casa e não morrer”, conta estudante do ES

Por meio de sua página no Facebook, a empresa afirmou, nesta quarta-feira (8), que tomou conhecimento das postagens através de “mensagens sexistas e extremistas”, afirmando que o jovem não faz mais parte da equipe.  “Apesar das fotos terem sido feitas em nossos empreendimentos, ressaltamos que não reflete a opinião do grupo, mas particular”, destacou a empresa.

Repercussão 

A publicação da construtora viralizou e, até a publicação desta reportagem,  já possuía dez mil curtidas. Nos comentários, os internautas dividem opiniões:

LEIA MAIS: Como cartunistas ao redor do mundo satirizam o presidente Donald Trump

“Agradeço imensamente (da minha parte) pelo fato de a empresa ter se posicionado sobre a questão e ter esclarecido que não compartilham do mesmo pensamento sexista, bem como não são cúmplices de ódio disseminado pelas redes sociais”, elogiou uma internauta.

"Obrigada por não apoiar esse tipo de coisa que envergonha a todos como ser humano imagina como profissional. Espero que ele aprenda a lição", comentou outra.

“Como podem demitir uma pessoa só porque ela não pensa igual? E ainda difamam o cidadão dizendo que é 'sexista', 'extremista', 'ódioso' ( sic )? O que ele falou de tão terrível? Repudio a empresa de vocês”, afirmou outro usuário da rede social.

LEIA MAIS: 'Tive de fazer sexo com 50 homens', diz menina vítima de grupo criminoso

Na perfil do ex-estágiario no Facebook, Gabriel Vaz defende sua posição. "Censurado por uma opinião divergente. Sigo firme na defesa da verdade", afirmou em uma publicação. Ainda na descrição do seu perfil, ele se considera "conservador de direita" e apoia a suposta candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) para a presidência do País, em 2018.