PM usa bombas de gás e balas de borracha contra manifestação em frente à Alerj

Cheiro de gás lacrimogêneo lançado pela Polícia Militar contra os manifestantes é bastante forte, podendo ser sentido a mais de 500 metros
Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo - 01.02.2017
Cariocas protestam em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro contra as medidas de austeridade do governo

O ano legislativo começou com clima de tensão no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (1º). Dezenas de manifestantes de movimentos sindicais de servidores estaduais estão enfrentando a tropa de choque da Polícia Militar que cerca a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

LEIA MAIS: Rio de Janeiro aumenta ICMS, mas oposição quer anular votação de pacote fiscal

Nas redondezas da Alerj , o cheiro de gás lacrimogêneo lançado pela Polícia Militar contra os manifestantes é bastante forte, podendo ser sentido a mais de 500 metros de distância. Os homens da tropa de Choque da PM estão investindo de forma truculenta contra o grupo que se concentra na Rua Primeiro de Março, onde está localizado o prédio. Além de gás, também são atiradas balas de borracha para dispersar a manifestação.

Portas fechadas

Os comércios das Ruas Primeiro de Março e São José, Avenidas Almirante Barroso e Presidente Antonio Carlos fecharam as portas por causa do enfrentamento violento entre os policiais e os manifestantes. Muitas pessoas que retornavam do almoço para as empresas e escritórios da região central do Rio acabaram tendo de procurar abrigo em marquises dos prédios, a fim de se proteger da violência.

LEIA MAIS: Novo relator da Lava Jato deverá ser definido hoje pelo STF

Trânsito

Também em consequência da manifestação, o tráfego de veículos acabou sendo interrompido em alguns trechos – como na Rua Primeiro de Março, Presidente Antonio Carlos e Avenida Graça Aranha.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil - 01.02.2017
Homens da tropa de Choque da PM faz proteção da Alerj contra o grupo que se concentra na Rua Primeiro de Março

Os motoristas dos ônibus no terminal rodoviário Menezes Côrtes, na Rua São José, não conseguem sair dos veículos. Por isso, o movimento está parado. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) foi obrigado a suspender as atividades, devido às manifestações e o corre-corre de pedestres na Avenida Rio Branco e ruas transversais.

LEIA MAIS: Após morte de Teori, juiz auxiliar pede desligamento do Supremo

Segundo as informações da Agência Brasil, pelo menos 500 homens da Polícia Militar, com apoio da Força Nacional de Segurança, garantem a segurança dos parlamentares e do prédio da Alerj, que está cercado com grades de proteção para evitar o avanço dos manifestantes.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-02-01/alerj-manifestacao.html