Os crimes variam de tráfico de drogas a assassinato, mas os procurados mais conhecidos são os autores do sequestro do publicitário Washington Olivetto

Os 10  mais procurados: no canto superior esquerdo, Gilmar José Baseggio; no inferior direito,  Vilma Cristina de Oliveira
REPRODUÇÃO/POLÍCIA FEDERAL
Os 10 mais procurados: no canto superior esquerdo, Gilmar José Baseggio; no inferior direito, Vilma Cristina de Oliveira

Não é novidade para ninguém que a Polícia Federal tem como objetivo prender criminosos. O problema, entretanto, é que muitos deles fogem para lugares distantes e países estrangeiros a fim de não serem pegos (de forma alguma), entrando para a lista de procurados.

A PF junto da Interpol Brasil liberaram uma lista dos dez criminosos mais procurados do Brasil. Confira abaixo.

+ Sem receber, policiais civis e agentes penitenciários fazem paralisações no Rio

Gilmar José Baseggio

O homem cometeu seu primeiro crime há quase 30 anos. Ele é buscado pela polícia por furto de veículos, lesão corporal, associação com o tráfico de cocaína, duas tentativas de homicídio de agentes da Polícia Federal, um homicídio de agente da Polícia Federal, ocultação de cadáver, roubo de uma submetralhadora 9mm e um revólver Magnum.

Carlos Eduardo do Amaral Pinheiro

Carlos Eduardo é procurado por ter atuado entre 2004 e 2008 em organização criminosa na administração pública da cidade de Coari, no Amazonas, quando seu irmão era prefeito. Ele é acusado de crimes contra a fé pública, crimes contra licitações públicas, crimes de responsabilidade, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Marcelo Gomes de Oliveira

Procurado por comandar uma organização criminosa de tráfico de pasta base para cocaína, só em 2012 e 2013 sua quadrilha foi responsável pelo transporte de quase 10 mil quilos da droga e movimentou mais de R$ 83 milhões. Além disso, praticou lavagem de dinheiro no Distrito Federal e em Goiás.

+ Mortes no RN foram "vingança" pelo massacre em Manaus, diz governador

Marco Rodolfo Rodrigues Ortega

Também conhecido pelo nome Carlos Renato Queiroz, Ortega foi responsável pelo sequestro do publicitário Washington Olivetto no final de 2001. Como resgate, o criminoso pediu “apenas” 10 milhões de dólares.

Oswaldo Paz de Almeida Junior

Almeida Junior é acusado de assédio sexual contra suas duas filhas, menores de idade, uma delas deficiente física. Ele coagiu as meninas a atos libidinosos por meio do uso de violência e por ameaça de cunho moral.

Ortega também é procurado por praticar violência contra seu filho, também menor de idade, com episódios de agressão que colocaram a saúde do garoto em risco.

Roger Ulrich

O suíço é procurado por ter agredido sua parceira, Ana Júlia de Sousa Rabelo, em um bar em 2004. Ele a ameaçou de morte e, em seguida, ao chegar em casa, tentou praticar atos sexuais com a vítima, atingindo-a na cabeça com um banco de madeira, provocando seu desmaio. Enquanto ela estava inconsciente, Ulrich a jogou pela janela de casa, de uma altura de aproximadamente 3 metros e a deixou na rua, sem prestar qualquer auxílio. Como consequência dos ataques, Ana Julia ficou paraplégica.

Santo Martinello

Martinello é acusado de abusar sexualmente e cometer homicídio de uma criança de seis anos. Ele trabalhava para a família do menor assassinado no Mato Grosso.

+ "Atuação apática": Governador do Amazonas afasta comandante-geral da PM do cargo

Silvana Seidler

A mulher é procurada por ter assassinado sua filha de sete anos. O corpo da menina foi encontrado já sem vida dentro de uma caixa coberta por roupas em um dos cômodos da casa onde a família vivia.

William Gaona Becerra

O colombiano, que também usa o nome Frederico Antonio Aribas, é procurado por ter participado do sequestro do publicitário Washington Olivetto junto do também procurado Marco Rodolfo Rodrigues Ortega.

Vilma Cristina de Oliveira

Vilma Cristina é integrante de uma organização criminosa que trabalha com o tráfico internacional de pessoas desde 1999. Ela foi responsável pelo envio de centenas de brasileiras para a Espanha para que trabalhassem como prostitutas em uma rede de casas de prostituição mantida pela quadrilha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.