Crise penitenciária: final de semana de fugas, rebelião e mortes pelo País

Em 48 horas foram três fugas de detentos em massa em três estados diferentes e rebelião em Natal, que acabou com a morte de 26 detentos

O final de semana foi tenso nas penitenciárias e delegacias do País. Em 48 horas foram registradas três fugas em massa e um rebelião de grande proporção que resultou na morte de 26 detentos. Do final da noite de sexta-feira (13) até o final da tarde desde domingo (15), 76 detentos conseguiram fugir em Salvador, em Curitiba e em Minas Gerais, fatos esses que agravaram a crise penitenciária no País. Um dos casos mais expressivo do final de semana de horror no sistema penitenciário brasileiro foi o ocorrido em Salvador, na Bahia. 

+ Rebelião: força-tarefa para identificar mortos; governo fala em 26 vítimas

Foto: Felipe Souza/BBC Brasil
Rebelião, fugas e mortes marcaram o final de semana nos presídios pelo País e pioram a crise penitenciária

Em menos de 24 horas a Bahia teve duas fugas em massa de detentos. Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Civil, 21 presos fugiram da carceragem da 4ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Coorpin) de Santo Antônio de Jesus, cidade que fica a cerca de 185 quilômetros de Salvador.  A outra fuga ocorreu na madrugada da sexta-feira (13) no Complexo Penitenciário de Mata Escura, também em Salvador, em que 17 detentos conseguiram escapar do complexo após serrar as grades de uma das celas. O presidente de República Michel Temer usou o Twitter para falar que estava ciente do ocorrido e pediu a intervenção de Alexandre de Moraes, ministro da Justiça para conter a crise no País. 

Explosão em Curitiba

Na madrugada deste domingo foi a vez de um grupo armado explodir uma das paredes da Penitenciária Estadual de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária, 28 detentos conseguiram escapar durante a ação e dois morreram em troca de tiros com a polícia.

A polícia afirmou ter encontrado com os criminosos mortos uma metralhadora Uzi 9 mm, uma bolsa com aproximadamente 300 cartuchos calibre 5,56 e um colete à prova de balas. O secretário de segurança Pública do Paraná afirmou que no começo da madrugada, um tumulto entre os presos foi registrado. A confusão foi usada pelos criminosos como forma de distração dos agentes penitenciários. Enquanto o tumulto era controlado pelos agentes, dois fortes estrondos atingiram um dos muros da penitenciária de Piraquara. A explosão ocorreu por volta das 5h30 da manhã deste domingo (15).

+ A prisão "queijo suíço" de onde presos escapam cavando buracos na areia

O secretário informou que, cerca de 15 homens armados participaram da ação do lado de fora da penitenciária, dando cobertura à fuga. Reunidos próximo ao buraco aberto no muro, o grupo disparou contra os policiais que estavam nas guaritas e contra as equipes de segurança em solo. Na fuga, quatro suspeitos fizeram uma família refém na cidade de Quatro Barras. Os bandidos portavam três fuzis e duas pistolas e foram rendidos por policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

Fuga em BH

A outra fuga ocorreu no Presídio Regional de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, também durante a madrugada deste domingo (15). A Polícia Militar afirmou que 10 detentos conseguiram escapar durante a ação e que eles serraram as grades do local e usaram uma corda feita de cobertores e lençóis para escapar.

O 48º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais está atuando nas buscas pelos fugitivos, mas até às 16h20 nenhum deles havia sido localizado.

Rebelião em Natal

O caso mais grave foi a rebelião no Rio Grande do Norte, na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia da Floresta, na região metropolitana de Natal. O motim começou na tarde de sábado (14) quando facções rivais entraram em confronto após uma invadir o pavilhão que a outra se encontrava. As secretárias de segurança acreditam que a briga tenha sido entre o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Sindicato do Crime RN. A primeira estimativa era de 10 mortos, mas no final da tarde desde domingo (15) o Governo do Estado afirmou que o número de mortos no motim chegou a 26 mortos. 

* com informações da Agência Brasil 

+ Protesto contra morte de policiais militares acontece no Rio de Janeiro

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-01-15/crise-nas-penitenciarias.html