Ato de respeito com a Polícia Militar versus polêmica de Fatima Bernardes

Você já se deparou com PMs parados na rua, prestando continência em silêncio por um minuto? Entenda o motivo
Foto: POLÍCIA MILITAR / DIVULGAÇÃO
A Policia Militar de SP, através de seu Batalhão de Choque, presta homenagem a um policial morto em ação. Março de 2016, Avenida Paulista, São Paulo

Recentemente fui convidado pela Comando do Batalhão de Choque da Polícia Militar de São Paulo, para acompanhar o treinamento de duas das suas unidades operacionais de elite: o Comandos e Operações Especiais (COE) e o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE). Na volta, peguei uma carona na viatura de um Major da PM, e no meio do percurso, sem motivo aparente, os policias diminuíram a velocidade, estacionaram e saíram do carro. De forma respeitosa, quase que silenciosa, pediram para que eu também saísse. 

Leia também: Crianças com câncer têm dia especial no Batalhão de Choque da PM 

Sem saber exatamente o que estava acontecendo, fui rapidamente para a calçada, e na sequencia os policiais ligaram a sirene, e ficaram de pé em posição de sentido, prestando continência por um minuto. Notei que um carro parou atrás da viatura da Polícia Militar e o motorista também saiu e ficou de pé, parado. Quando voltamos para a viatura perguntei o que havia acontecido.

O Major explicou que este é um ritual chamado de "Um Minuto de Sirene" em respeito aos policiais que são mortos em ação, e que sempre é feito no momento do seu enterro. Todos policiais que estão na rua, em serviço, executam esta homenagem ao companheiro caído e à seus familiares. Fiquei impressionado e emocionado, não só com este rito que eu desconhecia, mas também com cidadão que decidiu investir um minuto de seu tempo e explicitar sua solidariedade à polícia. Um belo exemplo de cidadania, que passa a ser parte das minhas ações de agora em diante.

Leia Também: Grafiteiros ilustram quartéis do Batalhão de Choque em evento cultural em SP

Quem sabe, quando Fátima Bernardes estiver em São Paulo, e se deparar com essa cena, ao invés de perder tempo em seu programa com enquetes patéticas e inúteis como “quem deveria ser atendido primeiro um policial ou um traficante ferido”, ela faça algo produtivo e honrado e invista um minuto de seu dia prestando respeito ao PM morto. 

O Policial que recebeu a homenagem que eu participei, é um Terceiro Sargento de 35 anos de idade, casado, que trabalhava na Polícia Militar há 11 anos. Ele estava envolvido numa ação de incursão num local com drogas e armas ilegais. Um dos criminosos derrubou o policial de uma altura de 5 metros, que teve fratura craniana e faleceu.  

Leia também: Fátima Bernardes é criticada após enquete em programa

Leia também: Batalhão de Choque do Estado de São Paulo defende a democracia


Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2016-11-28/ato-de-respeito-com-a-policia-militar-versus-polemica-de-fatima-bernardes.html