Assassino condenado a 55 anos de prisão ainda tentou abusar e matou criança de cinco anos, filha da vítima; foragido foi preso em ação no Rio

De acordo com a Polícia Civil de Sorocaba, Ozeas de Lima Miranda usou duas identidades falsas no Rio de Janeiro
Polícia Civil/Divulgação
De acordo com a Polícia Civil de Sorocaba, Ozeas de Lima Miranda usou duas identidades falsas no Rio de Janeiro


Um homem procurado há 15 anos pelos assassinatos da mulher e da filha, em Sorocaba, no interior de São Paulo, foi preso durante uma operação da Polícia Civil de Magé, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (29). 

LEIA MAIS:  Para barrar onda de violência, Natal recebe 1,2 mil militares 

Em 2000, no bairro Iporanga, em Sorocaba , Ozeas de Lima Miranda, de 37 anos, invadiu a casa de uma vizinha, onde a mulher havia se refugiado depois de ser agredida por ele, e a matou a facadas. Em seguida, ele assassinou a menina de cino anos e tentou matar outro filho da vítima, de sete anos. O menino foi esfaqueado, mas sobreviveu.

LEIA MAIS:  Homem mata mulher a facadas e joga filhos pela janela em condomínio no Rio

Miranda foi condenado a 55 anos de prisão. Seis meses depois, ele fugiu da Penitenciária de Mairinque, no interior de São Paulo.  

"Nós vamos trabalhar para identificar esses homicídios, lembrando que são fatos que devem ter acontecido antes do ano 2000, então vamos levantar para ver até onde vão essas informações. Se for comprovado o homicídio, ele também responderá por eles", disse o delegado que investiga o caso, José Ordeles, ao portal "G1".

O assassino está detido na Penitenciária de Bangu, na zona oeste do Rio, desde a última segunda-feira. A Polícia Civil chegou a Miranda depois de denúncias de que ele estaria trabalhando como soldador. 

Depois de assassinar a esposa, Miranda tentou abusar da filha da vítima, de 5 anos, em Sorocaba, no interior de São Paulo
Reprodução/ TV TEM
Depois de assassinar a esposa, Miranda tentou abusar da filha da vítima, de 5 anos, em Sorocaba, no interior de São Paulo


De acordo com a Polícia Civil de Sorocaba, Miranda usou duas identidades falsas no Rio de Janeiro enquanto estava foragido. Ele chegou a ser preso por tráfico e cumpriu pena usando uma dessas identidades, mas acabou reconhecido como o assassino de Sorocaba pelas tatuagens e características físicas.

LEIA MAIS:  Sobrinho de Lula é morto durante briga em bar no litoral paulista

A Polícia investiga a participação de Miranda em outros dois homicídios em São Paulo. Em Bangu, ele aguarda julgamento pelo crime de estupro contra a enteada, mas pode responder também por novas acusações de tráfico de drogas.

*Com informações do Estadão Conteúdo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.