Determinação visa garantir medidas de recuperação do meio ambiente e da área urbana de Barra Longa, afetado pela lama

Agência Brasil

Samarco, junto da Vale e BHP Billiton deverão apresentar, em até 30 dias, projetos de recuperação
Fred Loureiro/Secom/ES - Arquivo
Samarco, junto da Vale e BHP Billiton deverão apresentar, em até 30 dias, projetos de recuperação

A Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 500 milhões da Samarco, empesa cujos donos são a Vale e BHP Billiton. A determinação visa assegurar a efetivação de medidas para recuperação do meio ambiente e da área urbana do município de Barra Longa (MG), um dos mais atingidos pelo rompimento da barragem da Samarco, em Mariana (MG), em novembro de 2015. 

Entre os prejuízos causados ao município, houve devastação do distrito de Gesteira e destruição de equipamentos públicos, obras de infraestrutura, redes de saneamento e de abastecimento de água, além de escolas. Além do bloqueio do dinheiro, a Samarco e suas controladoras Vale e BHP Billiton deverão apresentar, em até 30 dias, projetos para recuperar, em seis meses, os bens públicos e de infraestrutura danificados na cidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.