Serial killer de GO é condenado a 20 anos de prisão por morte de adolescente

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Famoso por usar motocicleta para executar vítimas a tiros, Tiago Rocha ainda será julgado por outros 29 homicídios

O ex-vigia no julgamento que lhe rendeu sua primeira condenação, um ano e meio após detenção
YouTube/Reprodução - 16.02.2016
O ex-vigia no julgamento que lhe rendeu sua primeira condenação, um ano e meio após detenção

Quase um ano e meio após ser detido como suspeito por dezenas de assassinatos na cidade de Goiânia, Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 27 anos, foi condenado a 20 anos de prisão em regime fechado pelo homicídio da adolescente Ana Karla Lemes da Silva, nesta terça-feira (16).

O julgamento foi o primeiro de outros 29 que Rocha irá enfrentar pela série de homicídios dos quais é suspeito de ter cometido antes de sua prisão, ocorrida em outubro de 2014. Na ocasião, ele chegou a confessar à polícia o assassinato de 39 pessoas, entre mulheres, travestis e moradores de rua.

Destes, 35 casos foram levados à frente, mas acabaram arquivados por ausência de provas. Assim, restaram 30 assassinatos. Rocha ficou conhecido por se aproximar das vítimas sempre a bordo de uma motocicleta, usando capacete na cabeça e baleando-as na sequência. 

Relembre alguns dos casos marcantes de serial killers na América Latina:

Marcos Antunes Trigueiro, de 32 anos, ficou conhecido como Maníaco de Contagem. O criminoso estuprou e assassinou cinco mulheres. Foto: ReproduçãoChico Picadinho foi condenado pela morte de uma garota de programa e uma bailarina austríaca. Foto: ReproduçãoAdriano da Silva é apontado como o assassino de 12 meninos. Ele é chamado de “serial killer de Passo Fundo”. Foto: ReproduçãoMarcelo Costa de Andrade, Brasil: conhecido como 'vampiro de Niterói', ele estuprou e matou 14 meninos de 1991 a 1992, quando tinha 23 anos. Foto: Wikimedia CommonsLuis Alfredo Garavito, Colômbia: 'A besta', como ficou conhecido, admitiu ter matado e estuprado 140 meninos nos anos 1990. Foto: Reprodução/YoutubeLuis Alfredo Garavito, Colômbia: serial killer, considerado o que mais matou no mundo, cometeu até 400 assassinatos, dizem autoridades. Foto: Reprodução/YoutubeDelfina e María de Jesús González, México: as irmãs eram donas do Rancho Loma de San Ángel, bordel onde mais de 80 morreram nos anos 1950. Foto: Reprodução/YoutubeDelfina e María de Jesús González, México: as duas escravizavam sexualmente mulheres, faziam abortos, praticavam roubos e matavam clientes. Foto: Reprodução/YoutubeSara Aldrete, México: seguidora de Adolfo Constanza, ela foi sentenciada em 1994 por vários crimes contra jovens em cultos satânicos. Foto: Reprodução/YoutubeSara Aldrete, México: conhecida como 'La madrina', ela também se envolveu com tráfico de drogas. Foto: Reprodução/YoutubeJuana Barraza, México: de 2002 a 2006, ela matou 16 idosas para roubar pequenas joias. Foto: Reprodução/YoutubeEdson Isidoro Guimarães, Brasil: o ex-auxiliar de enfermagem carioca diz ter matado 5 em 2010. Mas a polícia suspeita de até 100 mortes. Foto: Reprodução/YoutubeFelícitas Sánchez Aguillón, México: a 'estripadora da Colonia Roma' matou entre 40 e 50 bebês na Cidade do México entre 1910 e 1940. Foto: Reprodução/YoutubeDorangel Vargas, Venezuela: ele confessou ter matado, até 1999, mais de dez para comer sua carne. As ossadas foram encontradas em Táchira. Foto: Reprodução/YoutubeDaniel Barbosa, Colômbia: acredita-se que, entre os anos 1970 e 1980, ele tenha estuprado e matado 150 crianças e adolescentes na Colômbia e Equador. Foto: Reprodução/YoutubeCayetano Santos Godino, Argentina: em 1903, com 7 anos, o 'pequeno orelhudo', como era chamado, espancou sua primeira vítima: uma criança de 2 anos. Foto: Reprodução/YoutubeCayetano Santos Godino, Argentina: em 1912, matou um garoto de 3 anos. Ele foi acusado de outros 3 homicídios e de incendiar 7 prédios. Foto: Reprodução/YoutubeCarlos Eduardo Robledo Puch, Argentina: apelidado de 'Anjo negro', o adolescente matou 11 pessoas em 1971, aos 19 anos. Foto: Reprodução/YoutubeCarlos Eduardo Robledo Puch, Argentina: entre seus crimes estão tentativa de estupro e roubo. Ele ainda está preso em Buenos Aires. Foto: Reprodução/YoutubeJorge Sagredo e Carlos Topp, Chile: dupla matou 10 e estuprou 4, de 1980 a 1981. Eles foram os últimos presos executados no país, em 1985. Foto: Reprodução/YoutubePedro Pablo Nakada, Peru: maior assassino do país, matou até 18, de 2005 a 2006, e ainda cumpre pena. Foto: Reprodução/YoutubePedro Pablo Nakada, Peru: o peruano diz que matava porque uma voz lhe 'pedia para limpar a Terra' das más influências. Foto: Reprodução/YoutubePedro Alonso Lopez, Colômbia: mais de 300 meninas, de 9 a 12 anos, podem ter morrido pelas mãos dele em países como Equador, Peru e Colômbia. Foto: Reprodução/YoutubePedro Alonso Lopez, Colômbia: conhecido como 'monstro dos Andes', ele cometeu crimes de 1978 a 1980 e levou a polícia aos locais das ossadas. Foto: Reprodução/YoutubePedro Rodrigues Filho, Brasil: 'Pedrinho matador' começou a matar em 1968, aos 14 anos. Ele assassinou criminosos e foi preso várias vezes. Foto: Reprodução/YoutubePedro Rodrigues Filho, Brasil: mais de 47 prisioneiros foram mortos por ele. Pedro foi solto em 2007 e voltou aos presídios em 2011, aos 57 anos. Foto: Reprodução/YoutubeManuel Octavio Bermúdez, Colômbia: ele foi acusado de matar mais de 30 meninos após abusar deles de 1999 a 2003. Foto: Reprodução/YoutubeManuel Octavio Bermúdez Estrada, Colômbia: ficou conhecido como 'monstro dos canaviais', já que deixava os restos mortais das vítimas nesses locais. Foto: Reprodução/YoutubeFrancisco de Assis Pereira, Brasil: conhecido como 'maníaco do parque', ele estuprou e matou ao menos seis mulheres em 1998. Foto: Reprodução/YoutubeFrancisco de Assis Pereira, Brasil: o 'maníaco do parque' tentou matar outras 9. Os corpos das vítimas foram jogados no Parque do Estado, em SP. Foto: Reprodução/Youtube

Ana Karla, por exemplo, foi executada com um tiro no tórax quando caminhava pelas ruas do bairro Jardim Planalto, por volta das 19h de 15 de dezembro de 2013. Ela tinha apenas 15 anos. 

O próximo julgamento de Rocha ocorrerá já em 8 de março. Desta vez, ele será julgado pela morte de Juliana Neubia Dias, de 22 anos. Ela foi assassinada em 26 de julho de 2014, pouco mais de dois meses antes da prisão do ex-vigia.

Na ocasião, Juliana estava no banco de passageiros do carro do namorado quando Rocha aproximou sua moto. Ela foi baleada no pescoço e no tórax. 

Rocha é cercado por policiais no momento de sua detenção, em 2014: assassino confesso
Fotos Públicas
Rocha é cercado por policiais no momento de sua detenção, em 2014: assassino confesso

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, responsável por comandar as sessões, decididiu pelo júri popular ao acatar a denúncia do Ministério Público de que o homicídio duplamente qualificado foi praticado por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima.

Michel Pinheiro Ximango fez a defesa de Rocha. Seus advogados iniciais – Brunna Moreno, Welyta Ferreira dos Santos e Leonaine Alves de Camargo – renunciaram a seus trabalhos junto ao vigia.

Na época em que foi preso, Rocha chegou a dizer que matava para "se livrar de uma angústia e por sentir prazer". Ele ficou conhecido por agir sozinho, sempre com um capacete de motocicleta na cabeça, executando suas vítimas com tiros. Segundo os investigadores, o vigilante assassinava “por ter raiva de tudo”. 

Leia tudo sobre: serial killer de goiâniagoiás

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas