Preso em velório da namorada planejou o crime, diz polícia

Por O Dia | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Juliana dos Santos Andrade, de 23 anos, foi asfixiada com um cadarço; corpo foi encontrado em sofá do motel

O Dia

Juliana foi assassinada no Rio de Janeiro  porque queria terminar o namoro
Reprodução/Facebook
Juliana foi assassinada no Rio de Janeiro porque queria terminar o namoro


Para a polícia do Rio de Janeiro, José Ailton da Silva, de 36 anos, planejou o assassinato de Juliana dos Santos Andrade, de 23 anos. De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídios, o homem matou a namorada porque descobriu que ela tinha a intenção de terminar o namoro.

Ele teria marcado um encontro com ela e a levado para o motel Top Kap, em Bangu, já com a intenção de cometer o crime. As investigações mostraram que a vítima, cuja corpo foi encontrado em um sofá erótico, foi asfixiada com um cadarço.

"Obtivemos imagens do motel e depoimentos de funcionários. Dias depois conseguimos identificar a vítima e pudemos evidenciar que foi o namorado dela que a matou", afirmou o delegado Fábio Cardoso ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

José Ailton foi preso durante o enterro de Juliana, na zona oeste do Rio, neste fim de semana
Divulgação/ Polícia Civil
José Ailton foi preso durante o enterro de Juliana, na zona oeste do Rio, neste fim de semana


José Ailton foi preso durante o enterro de Juliana, no Cemitério de Santa Cruz, zona oeste do Rio, neste fim de semana. "Os policiais agiram muito bem. O safado chegou ao enterro, teve a coragem de dar um beijo na minha filha do meio e foi abraçar meu marido, mas ele passou mal e as pessoas começaram a gritar. Eu mesma gritei 'ele matou minha filha', e os policiais fizeram a prisão", revelou ao DIA a mãe da vítima, Gracimar Santos de Andrade, 46 anos.

FONTE/O DIA

Leia tudo sobre: O DIABrasilRio de Janeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas