Governo planeja entregar repelente a grávidas para evitar casos de microcefalia

Ação deve ser realizada até fevereiro, de acordo com diretor do Ministério da Saúde; doença está associada ao Zika vírus
Foto: Edmar Melo JC Imagem
Distribuição de repelentes está prevista para ocorrer antes do período com maior proliferação de mosquito transmissor

O governo brasileiro ainda não tem uma previsão para dar início à distribuição de repelentes para grávidas, em uma tentativa de conter os casos de microcefalia associados ao vírus Zika. A expectativa do Ministério da Saúde, entretanto, é que a iniciativa comece até fevereiro.

"Ainda não temos estimativa, mas todo esforço vai ser feito para que nós comecemos a distribuir [os repelentes] antes do período em que costuma haver a ascensão da curva de infestação do Aedes aegypti ", disse o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do ministério, Cláudio Maierovitch.

Durante coletiva de imprensa, Maierovitch explicou que este é o período em que o Aedes aegypti , mosquito transmissor da doença, atinge seu pico de proliferação. Além do vírus Zika, o mosquito também transmite dengue e febre chikungunya.

Maierovitch disse ainda que fabricantes de repelentes e representantes do ministério devem se reunir nesta quarta-feira (16) para tratar de temas como a possibilidade de atender a demanda no país e o prazo para que isso aconteça.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2015-12-15/governo-planeja-entregar-repelente-a-gravidas-para-evitar-casos-de-microcefalia.html