Pré-candidato tucano diz desconfiar de dados sobre redução de acidentes em SP

Empresário João Dória Jr. questiona dados sobre acidentes divulgados pela CET e afirma que, se eleito, retomará velocidade máxima anterior das Marginais Pinheiros e Tietê
Foto: Lide / Divulgacao
O empresário João Dória Jr., que disputa preferência tucana com Andrea Mattarazzo para eleições

Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2016, o empresário João Dória Jr. afirma não confiar nos dados do governo municipal a respeito da redução de acidentes na cidade, em entrevista à imprensa realizada após evento na capital paulista, nesta segunda-feira (23).

Para o empresário, o fato de os balanços serem divulgados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), subordinada à Prefeitura, os torna questionáveis, tanto em relação às mortes quanto sobre a velocidade média dos veículos nas vias. Segundo o governo Haddad, o número de vítimas de acidentes nas Marginais Pinheiros e Tietê caiu 36% no primeiro mês de implantação da medida – que reduziu as velocidades máximas na via para 50 km/h nas pistas locais e 70 km/h nas expressas – quando comparado ao mesmo período do ano passado.

"Se fosse um órgão independente, um órgão do governo do Estado, eu provavelmente não questionaria. Mas, pela subordinação à Prefeitura, que implantou a medida e quer mostrar que ela funciona, não vejo esses dados como confiáveis", disse Dória após evento voltado para empresários em hotel na zona sul paulistana.

"A redução de acidentes vem desde o ano passado, porque, com a crise, as pessoas usam menos o carro. Foi algo notado em todo o Estado. Não vejo isso pontualmente nas Marginais."

Atualmente, Dória é um entre os dois possíveis candidatos tucanos a disputar a Prefeitura em 2016, eleições em que deve disputar voto diretamente com o atual mandatário, Fernando Haddad, cuja avaliação popular segue em baixa de acordo com pesquisas de opinião. A escolha do partido, que também tem o vereador Andrea Mattarazzo interessado no cargo, será decidida em março, nas prévias do PSDB.

E críticas do empresário ao governo petista municipal não faltam. Dória chama a gestão de Haddad de "apagada", "um prefeito ruim, medíocre, que não sai de seu gabinente e fez a cidade parar". Das políticas mais exaltadas pela Prefeitura, só aprova a questão das ciclovias, que ainda assim vê como mal executada na cidade. Afirma que, caso seja eleito, a reavaliará totalmente, instalando-as após estudos e discussões com a população.

Das mais recentes, critica o fechamento da Avenida Paulista aos domingos, por exemplo, contestado pelo Ministério Público Estadual por ferir o direito de ir e vir do cidadão, e classifica como um gigantesco erro a redução de velocidade das vias da cidade – política que prevê velocidade máxima de 50 km/h em todas as vias paulistanas.

"Com certeza, pelo menos em relação às Marginais, vou reverter. É uma via expressa, de velocidade rápida, que tem de ser mantida assim", comentou. "Foram ignoradas tantas políticas na cidade, priorizando esses pontos que só deixaram a população insatisfeita. Vamos investir na digitalização da cidade, 4G, 5G; descentralizar as subprefeituras; sempre com uma gestão mais participativa, mais inovadora. Independente de quem for escolhido nas prévias, o PSDB vai unido para as eleições."

A assessoria de imprensa da administração municipal informou, em nota, que "não cabe à Prefeitura comentar de forma institucional as declarações mencionadas".

"A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) é um órgão de Estado e é formada por um corpo técnico de engenheiros qualificados para as funções desempenhadas pela companhia", diz o comunicado.

Foto: BBC Brasil_28Jun2015
O prefeito Fernando Haddad em uma das ciclovias instaladas na capital paulista neste ano


Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2015-11-23/pre-candidato-tucano-diz-desconfiar-de-dados-sobre-reducao-de-acidentes-em-sp.html