Brasil pode ser o primeiro País a ter vacina contra a dengue, diz Anvisa

Por Agência Câmara - | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dois tipos, de laboratórios diferentes, aguardam aval; empresa diz ter capacidade para produzir 100 milhões de doses por ano

Agência Câmara

Luiz Alves/Câmara dos Deputados - 28.5.15
"Não temos prazo", afirma diretor da Anvisa

O diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Renato Alencar Porto, anunciou nesta quinta-feira (28), na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, que o Brasil pode ser o primeiro País do mundo a registrar uma vacina de dengue, o que pode ocorrer até o fim do ano.

A comissão realizou audiência pública sobre as pesquisas para a vacina de dengue. São seis vacinas contra a dengue pesquisadas no mundo. A mais avançada delas no Brasil, desenvolvida pelo laboratório Sanofi-Pasteur, já passou pelas três fases de pesquisa e foi protocolada na Anvisa em março.

Leia também:

- Na minha rua 80% das pessoas tiveram dengue, diz moradora de São Paulo

- Brasil registra queda de 27% no número de casos de dengue entre março e abril

- Tecnicamente vivemos uma epidemia de dengue, diz ministro da Saúde

Segundo a diretora da empresa para a América Latina, Lucia Bricks, já há estoque para a vacina ser usada no segundo semestre e a capacidade de produção é de 100 milhões de doses por ano. A vacina imuniza contra os quatro tipos de vírus da dengue e foi testada em 40 mil pessoas de 15 países. Reduziu em 60% a dengue sintomática e diminuiu em 95% a doença grave.

Instituto Butantan
A outra vacina contra a dengue está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan. Segundo o diretor-substituto do instituto, Marcelo de Franco, já está demonstrada a segurança e a extrema potencialidade da vacina. Se as pesquisas do instituto entrarem na fase três antes do registro da vacina da Sanofi, o processo de finalização será mais ágil.

Marcelo de Franco explicou que de acordo com as normativas da Anvisa para medicamentos, se eles conseguirem o registro antes de o Butantan ter autorização para a fase três, o instituto terá de fazer um teste de comparação com a deles. “Então nós teríamos que aumentar o nosso número de voluntários em quase quatro vezes, o que praticamente inviabilizaria em termos de custos porque quadruplica o custo necessário para fazer o estudo."

Os planos originais do instituto são testar com até 17 mil voluntários em todo o País e, de preferência, fazer estudos paralelos no exterior, onde o Butantan já tem dois laboratórios parceiros.

Doses da vacina
A vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan é em dose única e a da Sanofi-Pasteur prevê três doses com intervalo de seis meses.

Lucia Bricks comentou que é um sonho a vacina em dose única, “que protege 100% pela vida toda”. A diretora da Sanofi-Pasteur acrescentou que a maior parte das vacinas utilizadas no Brasil tem mais de uma dose. “A maioria das vacinas não chega a proteger 100% da população, a proteção é variável. Neste momento, a única vacina que demonstrou um programa muito robusto, que cumpriu todas as três etapas de estudos clínicos necessários ao registro é a da Sanofir-Pasteur."

O diretor da Anvisa explicou que, apesar da possibilidade, não pode prever quando o Brasil terá uma vacina contra a dengue. "A gente não fala em prazo, isso é muito difícil. Como a gente tratou aqui, a complexidade é muito grande. Registrar uma vacina sendo a primeira e com todo esse diferencial, com diversos tipos de vírus, com a quantidade de dados muito grande, a gente não fala em prazo. Nosso compromisso é fazer a avaliação desse dossiê da maneira mais rápida possível, garantindo que essa vacina seja registrada, se assim for, com eficácia, qualidade e segurança comprovadas", assinalou Renato Alencar.

Veja imagens da epidemia de dengue no Brasil

Foco de dengue: vasos sanitários abandonados na zona oeste da capital. Foto: Fernanda Dias/Agência O GloboScott O'Neill libera no ambiente os primeiros mosquitos Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia. Foto: Eliminate Dengue ProgramAgentes de saúde mostram equipamentos que serão utilizados no combate à dengue no próximo verão. Foto: Bia Alves / Fotoarena / Agência O Globo Foram registrados 8 mil casos em 2015 - 5 mil a mais que no mesmo período do ano passado. Foto: Moises Zeferino/BBC BrasilO trabalho dos inspetores é cansativo. Foto: Moises Zeferino/BBC Brasilfernando haddad visita tendas combate à dengue. Foto: Fabio Arantes/Secom/Prefeitura de São PauloMosquito da dengue. Foto: Arquivo WikipédiaEntulho acumulado nos fundos do hospital podem abrigar focos do mosquito da dengue. Foto: Anderson Passos/iG São PauloForam confirmados 12.531 casos de dengue desde o início de 2014. . Foto: Agência BrasilAgentes combatem os criadouros do mosquito da dengue. Foto: Reprodução/BBC BrasilAgentes fazem fiscalização de possíveis focos da doença na capital paulista. Foto: Divulgação/Prefeitura de São PauloAgentes de saúde visitam casas na zona oeste de São Paulo, região mais afetadas por casos neste ano. Foto: Divulgação/Prefeitura de São PauloCombate à dengue em Jaguariúna, interior de São Paulo. Foto: Reprodução/RacAndradina declara estado de emergência por dengue. Foto: DivulgaçãoCientista trabalha com mosquitos geneticamente modificados  no laboratório da Oxitec . Foto: Getty ImagesVoluntário participa da campanha de combate à dengue no Morro do Salgueiro. Foto: Luiz Morier / Agência O Globo

Ação do SUS
O coordenador-geral do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Evelim Coelho, explicou que o ministério vai definir áreas e grupos etários que serão prioritários para a vacinação quando a vacina estiver disponível.

Giovanini Coelho esclareceu que o ministério está apoiando a realização de estudos para preparar o Sistema Único de Saúde (SUS) para receber as vacinas. "Basicamente, esses estudos visam definir áreas e grupos etários que serão prioritários para a vacinação quando essa vacina estiver disponível. Ou seja, nós nos antecipamos exatamente por entender que a vacina de dengue, em um primeiro momento terá pouca oferta e é necessária a priorização nesse processo de vacinação."

O coordenador afirmou ainda que o Ministério de Saúde tem um programa permanente contra a dengue que repassa recursos para estados e municípios. Essas atividades de prevenção e controle são executadas pelos municípios e, neste ano, além dos recursos de rotina, foram repassados R$ 150 milhões para as secretarias estaduais e municipais de saúde. Já foram registrados neste ano 850 mil casos de dengue, dos quais 430 mil apenas em São Paulo. Nos últimos 50 anos, a incidência de dengue no planeta aumentou 30 vezes.

Leia tudo sobre: saúde públicadenguevacina

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas