Meia Hora: suspeito de matar irmã de Vitor Belfort tá na tranca

Por Jornal Meia Hora | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Homem teria participado do sequestro e assassinato na Providência, Rio de Janeiro

Jornal Meia Hora

Apontado pela polícia como um dos bandidos que sequestraram e assassinaram Priscila Belfort, em 2004, no Morro da Providência, Danilo Oliveira de Almeida, o Dadá, foi recapturado neste sábado, na Gamboa, Zona Portuária do Rio. A jovem, que tinha 29 anos na época do desaparecimento, em janeiro daquele ano, trabalhava na Secretaria Estadual de Esportes e Lazer, e era irmã do lutador de MMA Vitor Belfort. Uma das possibilidades é de que Priscila teria sido morta por traficantes do Morro da Providência por causa de uma dívida de R$ 9 mil.

Danilo fugiu do Instituto Penal Vicente Piragibe, em Gericinó, no dia 3 de fevereiro de 2013, com mais 31 detentos, tal qual uma ratazana por túnel construído na tubulação de esgoto. Leonardo Luiz Batista, outro suspeito do sequestro de Priscila, também fugiu no mesmo dia, mas foi recapturado em julho daquele ano.

O inquérito, que está na Divisão Antissequestro (DAS), não chegou a ser arquivado e corre em sigilo. Danilo foi encaminhado para a 5ª DP (Mem de Sá) e, após o registro da ocorrência, levado para a DAS.

Priscila Belfort, cujo corpo teria sido esquartejado, saiu do trabalho, no Centro, afirmando que iria almoçar e não foi mais vista. Não houve pedido de resgate. Nos meses seguintes, os parentes levantaram várias possibilidades, inclusive algum tipo de confusão mental. Segundo a família, ela já havia sofrido lapsos de memória em anos anteriores, mas nunca a ponto de perder o contato com os parentes.

Leia tudo sobre: brasiljornal meia horavitor belfortcrime

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas