Meia Hora: acusado de matar e esconder corpo roda

Por Jornal Meia Hora |

compartilhe

Tamanho do texto

Homem, que foi preso pela Delegacia de Homicídios, é suspeito de integrar a milícia ‘Liga da Justiça’

Jornal Meia Hora

Apontado pela polícia como integrante da milícia ‘Liga da Justiça' e envolvido em um homicídio e ocultação de cadáver, Júlio César Lima Duarte, 34, o síndico do condomínio Aveiros - que faz parte do conjunto do programa Minha Casa Minha Vida, localizado na Estrada dos Palmares, em Santa Cruz -, foi preso nesta quarta-feira por agentes da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital.

Além dele, que rodou no conjunto, outros dois homens foram capturados em flagrante. Os agentes chegaram até o acusado, depois de investigações apontarem que Júlio teria amarrado Ellerson Markus Ferreira Loureiro, de 19 anos, e entregue para a milícia, dizendo que o mesmo havia praticado furtos em sua casa e dentro do condomínio.

O jovem, desaparecido desde janeiro, ainda não foi encontrado, mas as investigações da especializada apontam que ele está morto. De acordo com o delegado-assistente da DH, Alexandre Herdyr, a prisão de Júlio foi decretada pela Justiça e o mesmo permanecerá sob custódia durante 30 dias.

"Chegamos até ele e o mesmo permanecerá em custódia por sua contribuição no crime. A investigação continuará até que a gente consiga chegar até o corpo do jovem", disse Herdyr.

Ainda de acordo com a polícia, Júlio é suspeito também de ser o ‘cobrador' da milícia. Ele exigia dos 469 moradores R$ 50 por mês para "taxa de segurança".

Máscaras, fuzil e outras armas dentro de carro

Após a prisão do síndico, os agentes interceptaram, no bairro de Paciência, também na Zona Oeste, um veículo modelo Peugeot 307, onde estava Carlos Alexandre Radis da Silva. No carro, que segundo a polícia é roubado, os policiais encontraram uma espécie de paiol, onde foram apreendidos um fuzil, máscaras, duas pistolas, três revólveres, três réplicas de pistola, além de munição, coletes e radiotransmissores.

Ainda nesta quarta, os policiais da DH também interceptaram um Voyage verde, perto da comunidade Nova Sepetiba, em Sepetiba, e prenderam Rondineli Effgen Faria. No momento da prisão, o suspeito chegou a afirmar que o carro não era roubado. No entanto, os agentes descobriram que o carro era mesmo fruto de assalto.

Vendiam terrenos

Cadernos de contabilidade apreendidos revelaram que milicianos vendiam terrenos irregulares na região. "Os criminosos invadem os terrenos e depois vendem para as pessoas a preços baixos", afirmou o delegado Alexandre Herdyr. Segundo a polícia, os lotes eram negociados por preços que variavam de R$ 2 mil a R$ 4 mil.

O delegado afirmou ainda que, informalmente, Carlos confessou fazer parte da milícia regional. No bairro de Santa Cruz, a atuante é a ‘Liga da Justiça', com muitos anos de existência.

Leia tudo sobre: crimemeia hora

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas