Indústria de armas será a única beneficiada pelo fim do Estatuto, diz coronel

Por Agência Câmara |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-secretário nacional de Segurança Pública Coronel José Vicente disse que a redução da insegurança seria tratada com mais eficiência com uma política nacional de segurança pública e melhores leis processuais penais

Agência Câmara

O ex-secretário nacional de Segurança Pública Coronel José Vicente disse que o único beneficiado com a revogação do Estatuto do Desarmamento, prevista no projeto de lei 3722/12, será a indústria de armas. "Não há razoabilidade nesse projeto", disse Vicente. Ele participa neste momento de audiência pública realizada pela comissão especial que analisa o projeto de lei 3722/12, que revoga o estatuto.

LEIA TAMBÉM: Câmara mais conservadora em 2015 ajudará a liberar porte de armas, diz deputado

Segundo ele, a redução da insegurança seria tratada com mais eficiência com uma política nacional de segurança pública e melhores leis processuais penais.

Ele disse que o estatuto interrompeu uma espiral de violência no País e que o numero de mortes por arma de fogo seria ainda maior se não houvesse essa lei. Para Vicente, é um erro pensar que a arma de fogo aumenta a segurança do cidadão. "A chance do indivíduo armado morrer nas mãos do bandido é muito maior do que ele desarmado", disse.


Leia tudo sobre: estatutoarma de fogojosé vicentedesarmamento

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas