Motoristas de ônibus paralisam terminais de SP

Por Ana Flávia Oliveira * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Categoria, que fez o protesto por duas horas, considerou baixo o reajuste salarial de 7,21%; pedido é de aumento de 8,40%

Os motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo paralisaram os 29 terminais de ônibus nesta terça-feira (12) durante duas horas, segundo a SPTrans. A manifestação começou às 10h e, às 12h, os manifestantes começaram a liberar terminais. 

No Terminal Parque Dom Pedro II (no centro da capital paulista), motoristas bloquearam a entrada e a saída de veículos. No terminal Jabaquara (zona sul), os ônibus ficaram parados em todas as plataformas. 

Terminais de ônibus junto a estações de metrô, como a do Butantã (zona oeste) e do Sacomã (zona sul), também pararam. 

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 11h coletivos estacionaram e interromperam a circulação da faixa exclusiva da Avenida Nove de Julho. 

A categoria diz que a paralisação é um protesto contra o reajuste de 7,21% oferecido pelo sindicato patronal, o SPUrbanuss. Os motoristas pedem reajuste de 8,40%.

Ônibus parados em manifestação no Terminal Jabaquara (zona sul de São Paulo)
Ana Flávia Oliveira/iG São Paulo
Ônibus parados em manifestação no Terminal Jabaquara (zona sul de São Paulo)




Na zona sul

O terminal Jabaquara, na zona sul, foi um dos prejudicados pela paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus na manhã desta terça-feira. Representantes do Sindmotorista (sindicato que representa a categoria) impediam a circulação dos veículos dentro e fora do terminal.

Filas de ônibus parados se formaram nos dois sentidos da Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira. Dentro do terminal, os ônibus tomavam todas as plataformas. O único movimento era dos veículos da EMTU, que ligam o terminal a cidades do Grande ABC.

Luciane Mendes foi surpreendida pela paralisação. (12/04)
Ana Flávia Oliveira/iG São Paulo
Luciane Mendes foi surpreendida pela paralisação. (12/04)

Apesar de o sindicato alegar que avisou com antecedência sobre a paralisação de duas horas de hoje, muitos usuários foram pegos de surpresa. É o caso da vendedora de móveis Luciane Mendes, de 41 anos. Moradora do bairro Cidade Ademar, na zona sul, ela disse que foi ao médico na região da estação Ana Rosa do metrô e pretendia voltar para o trabalho no bairro do Socorro.

"Não estava sabendo dessa paralisação. Para mim, ficar parada aqui é perder dinheiro. Se eu não vender, não ganho", disse. Sem alternativa, Luciane ia esperar no terminal Jabaquara o retorno dos ônibus às 12h. "Só me resta sentar e esperar". 

A operadora de telemarketing Daiane Lima, de 30 anos, enfrentou situação parecida. Moradora do bairro de Pedreira, ela disse que perderia sua consulta médica em Moema às 11h30.  "Só fiquei sabendo quando o cobrador mandou a gente descer do ônibus. Acho justo eles fazerem as reivindicações, mas tem de avisar para a gente poder se programar", diz.

Pauta dos manifestantes

"O motivo desta manifestação é chamar a atenção do poder à proposta indecente de 7,21% apresentada pelos patrões", diz Valdevan Noventa, presidente do Sindimotoristas (sindicato que representa os trabalhadores). 

Segundo o sindicalista, a categoria quer que o valor do vale-refeição seja reajustado para R$ 22. Atualmente, o benefício diário é de R$ 16,50 e os empresários ofereceram R$ 17,69. Eles pedem também que motoristas de ônibus articulados, biarticulados e trolebus tenham salário 20% maior que o de ônibus comum. 

Está marcada uma nova assembleia para a próxima quinta-feira (14). 

Outro lado

O SPUrbanuss informou, em nota, que considera "intempestiva" a manifestação dos motoristas e cobradores de ônibus. O sindicato diz que está negociando desde o final de abril os termos da Convenção Coletiva de Trabalho, com data-base em maio. "Essas negociações estão em andamento; ainda não se esgotaram". 

Veja imagens da paralisação desta terça-feira (12):

No terminal Jabaquara, motoristas ligaram os motores poucos minutos antes das 12h. Foto: Ana Flávia OliveiraMotoristas fecham todos os terminais de ônibus de São Paulo. Imagens do Terminal Jabaquara. (12/05). Foto: Ana Flávia Oliveira/ iG São PauloMotoristas fecham todos os terminais de ônibus de São Paulo. Imagens do Terminal Jabaquara
. Foto: Ana Flávia Oliveira/iG São PauloParalisação no terminal Sacomã, na zona sul de São Paulo. Foto: Reprodução/@oBrunoFariasÔnibus permanecem estacionados no Terminal Jabaquara (zona sul) após motoristas e cobradores cruzarem os braços por reajuste salarial. Foto: Ana Flavia Oliveira/iGÔnibus parados em manifestação no Terminal Jabaquara (zona sul de São Paulo). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGOs ônibus param antes de chegar ao terminal Jabaquara. Os usuários foram obrigados a caminhar até o terminal. (12/05). Foto: Ana Flavia Oliveira/iGTerminal Jabaquara ficou fechado durante paralisação de ônibus nesta terça-feira (12). Foto: Ana Flávia Oliveira/iG São PauloMotoristas e cobradores de ônibus de São Paulo fazem greve por reajuste salarial; eles prometem paralisar 27 terminais na capital paulista. Foto: Ana Flavia Oliveira/iGOliveira, do sindicato, disse que os usuários foram avisados ontem sobre paralisações por meio de carros de som nos terminais afetados. (12/05). Foto: Ana Flávia Oliveira/iG São PauloOperadora de telemarketing Daiane Lima disse que tinha consulta médica na região de Moema, mas não iria conseguir chegar por causa da paralisação. (12/05). Foto: Ana Flávia Oliveira/iG São PauloLuciane Mendes mora na Cidade Ademar. Vendedora disse que foi ao medico e pretendia voltar para o trabalho, mas foi surpreendida pela paralisação. (12/04). Foto: Ana Flávia Oliveira/iG São Paulo




*Com informações de Ana Flávia Oliveira e Agência Brasil

Leia tudo sobre: ônibusgreve de ônibussptransigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas