Arthur Chioro participou de mobilização do Dia D da Campanha de Vacinação, neste sábado (9), em Porto Alegre

Agência Brasil

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que a vacina contra a gripe pode evitar 45% das internações e 75% das mortes por complicações da doença. O ministro participou de mobilização do Dia D da Campanha de Vacinação contra a Gripe, em Porto Alegre, neste sábado (9).

Fila para receber a vacina distribuída pelo governo contra a gripe em posto de saúde em Braília
Elza Fiuza/Agência Brasil
Fila para receber a vacina distribuída pelo governo contra a gripe em posto de saúde em Braília

A campanha começou no último dia 4 e vai até 22 de maio. Até lá, o ministério pretende vacinar 80% dos cerca de 49,7 milhões de brasileiros que compõem o público-alvo da campanha. De acordo com Chioro, eventuais relatos de falta de vacina em alguns municípios são ocorrências pontuais. 

“Em alguns lugares há uma grande adesão. Então, eventualmente, é preciso remanejar, trazer vacinas do outro posto, esperar o dia seguinte. O número de pessoas programado para vacinar é algo entre 40 milhões, 41 milhões de brasileiros. E nós adquirimos 54 milhões de doses", disse Chioro. "Todas elas já estão com a gente e sendo distribuídas de acordo com o cronograma. Em todo o Brasil, não faltará vacina.”

Leia mais:
Dia D de vacinação contra gripe visa a imunizar bebês, gestantes e idosos

A composição da vacina contra a gripe é atualizada a cada ano, de acordo com os vírus circulantes, para garantir a eficácia do medicamento. Em 2015, a vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde contém três cepas (tipos) de vírus em combinação: um vírus simular aoInfluenza A/California, um similar ao Influenza A/Switzerland e outro similar ao Influenza B/Phuket. Questionado sobre o fato de clínicas particulares disponibilizarem uma vacina com quatro cepas – além dos três, contém o Influenza B/Bribane - Chioro reforçou que a fórmula ofertada pelo governo é eficaz.

“Nós temos absoluta convicção de que a vacina fornecida à população brasileira não só dá a proteção necessária, como é extremamente segura”, afirmou. O ministro convocou a população que faz parte do público-alvo a comparecer aos cerca de 65 mil postos de vacinação em todo o País.

Devem ser imunizadas crianças de 6 meses a 5 anos, idosos, trabalhadores da saúde, gestantes, mulheres no período de até 45 dias após o parto, presos e funcionários do sistema prisional. A vacina contra a gripe é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática a outras doses ou para quem tem alergia grave a ovo de galinha e derivados.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro: ele garante que não faltarão vacinas contra gripe no Brasil
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O ministro da Saúde, Arthur Chioro: ele garante que não faltarão vacinas contra gripe no Brasil

Em Brasília, o posto de saúde da quadra 905 Norte, no Plano Piloto, região central da capital federal, recebeu um público formado por gestantes, crianças e ,principalmente, idosos. Em alguns momentos houve filas, mas o atendimento fluiu com agilidade. Algumas crianças maiores de 5 anos garantiram a imunização, mesmo não fazendo parte do público-alvo.

A pesquisadora da Fundação Nacional do Índio (Funai) Sônia Maria de Paula, 65 anos, se vacinou e tentou convencer o neto José Victor Ribeiro de Paula, 10, a fazer o mesmo. O menino, no entanto, preferiu tomar a vacina em outro dia.

Leia também:
7 razões para se vacinar contra a gripe
Vacinação contra a gripe começa na segunda-feira em todo o País

“Como ele viaja comigo a trabalho, já foi para a aldeia, queria que ele se vacinasse para não transmitir para os índios”, contou Sônia, que se vacina anualmente por ver o ato com de grande importância. “Você evita pneumonia e doenças mais fortes."

A aposentada Maria José Mussoi, 71 anos, faz o mesmo. “Fiquei sabendo [da campanha] porque todo ano a gente espera. Estava até preocupada, achando que estava demorando”, brincou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.