Chamas atingem tanques da Ultracargo desde a última quinta-feira (02); acesso de caminhões a porto está restrito

Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff colocou o governo federal à disposição do estado de São Paulo e da prefeitura de Santos para auxiliar no combate ao incêndio que atinge, desde quinta-feira (2), tanques de combustíveis da empresa Ultracargo, no Terminal da Alemoa, na Baixada Santista.

Leia mais:
"Situação está sob controle, mas não fogo", diz capitão dos Bombeiros em Santos

Dilma determinou que a Aeronáutica e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) destaquem homens e equipamentos para apoiar o controle do incêndio, que completa hoje (6) quatro dias. De acordo com a Secretaria de Imprensa da Presidência da República, o vice-presidente Michel Temer conversou no último sábado (4) com o prefeito de Santos, Paulo Alexandre, e com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre Moraes.

Leia também:
Incêndio no Porto de Santos: estradas começam a restringir passagem de caminhões
Acesso de caminhões ao Porto de Santos deve continuar restrito até sexta-feira
Governo de São Paulo cria gabinete de crise para acompanhar incêndio em Santo s

O incêndio atingiu seis tanques. Cerca de 75 mil litros de água por minuto estão sendo jogados sobre os tanques com auxílio das bombas de três rebocadores e do navio do Corpo de Bombeiros, que estão a uma distância de 650 metros do local do incêndio. O vento, no entanto, prejudica o trabalho dos bombeiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.