Incêndio em tanques de combustível começou na quinta-feira (2) e deve ser extinto nesta segunda-feira, segundo prefeitura

Agência Brasil

O combate ao incêndio nos tanques de combustíveis da empresa Ultracargo, no Terminal da Alemoa, em Santos, evoluiu no fim de semana, mas as chamas ainda não foram extintas. No entanto, de acordo com a prefeitura de Santos, o incêndio deve ser extinto nesta segunda-feira (6).

Já a restrição do acesso de caminhões ao Porto de Santos deve continuar pelo menos até sexta-feira (10), por decisão do Gabinete de Integração, que reúne setores da prefeitura e dos governos estadual e federal. A informação é da assessoria de imprensa da prefeitura de Santos. As barreiras de triagem instaladas na altura do km 39 das rodovias Anchieta e Imigrantes serão estendidas para outros pontos como o Rodoanel e as rodovias Anhanguera, Dutra e Ayrton Senna.

A descida da Serra será permitida apenas para os motoristas de caminhões que vão seguir para a margem esquerda do acesso ao porto, no caminho do Guarujá. Haverá exceção apenas para os que levam carga perecível, mas, para prosseguir viagem, os transportadores serão escoltados.

O incêndio teve início na última quinta-feira (2): seis tanques foram atingidos. O Corpo de Bombeiros utiliza sete rebocadores, que bombeiam água do mar com espuma para apagar o fogo, e fazem o resfriamento dos tanques ao redor.

Os bombeiros conseguiram, na tarde de ontem (5), extinguir as chamas de um tanque que continha etanol anidro, mas dois tanques de gasolina ainda estão tomados pelo fogo nesta manhã.

De acordo com a prefeitura, os bombeiros dispõem de 30 mil litros de espuma em reserva. Os Bombeiros também contam, desde ontem, com o auxílio de uma viatura com visão térmica, que permite identificar o calor nos cilindros, mesmo quando não há chamas. Um aparelho vindo do Exército também vai ajudar na detecção de partículas sólidas e de gás no ar, que podem oferecer perigo à saúde da população de Santos.

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) vem medindo a qualidade do ar em vários pontos da região: até ontem, não havia identificado alterações nos índices habituais nas cidades de Santos e Cubatão. As equipes da Cetesb também monitoram uma mortandade de peixes no estuário e no Rio Cubatão, possivelmente pela contaminação da água em razão do incêndio. Os peixes foram recolhidos para análise.

A prefeitura de Santos informou que o possível impacto ao meio ambiente, de responsabilidade da empresa Ultracargo, poderá gerar multas de até R$ 50 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.