Cadeia Pública de Aquiraz não pode receber nenhum novo detento até que surto esteja controlado; visitas estão vetadas

Agência Brasil

A juíza Mônica Lima Chaves, da 1ª Vara da Comarca de Aquiraz, determinou a interdição da cadeia pública do município, que fica na Região Metropolitana de Fortaleza, neste domingo (5). O motivo é o registro de pelo menos cinco casos de meningite entre os detentos desde a última sexta-feira (3).

Presídio na Grande Fortaleza tem dobro de detentos da lotação máxima; na foto, cadeia em MG
Luiz Silveira/Agência CNJ
Presídio na Grande Fortaleza tem dobro de detentos da lotação máxima; na foto, cadeia em MG

De acordo com o diretor da 1ª Vara, Paulo Pedrosa, o primeiro preso diagnosticado com a doença foi encaminhado para o Hospital São José, em Fortaleza, especializado em doenças infecciosas. A Secretaria da Saúde do Estado informa que, a partir desse caso, iniciou a medicação em presos que mantiveram contato com a pessoa infectada e nos agentes penitenciários para bloquear a transmissão.

Leia também:
Surto de vírus mata duas pessoas em cadeia em Minas Gerais
Execuções e esquartejamentos também assombram presídios fora do Maranhão
Escuridão, aperto e doenças: uma visita a uma prisão maranhense

Pela decisão judicial, a Cadeia Pública de Aquiraz não pode receber mais nenhum detento até que as autoridades sanitárias do Estado verifiquem que não existe mais possibilidade de transmissão da doença.

A guerra conflagrada no sistema prisional brasileiro:

Segundo o diretor da 1ª Vara, a unidade tem capacidade máxima para 52 detentos, mas tem atualmente 105. Destes, cinco cumprem pena em regime semiaberto. No entanto, devido aos casos de meningite, eles ficarão em regime fechado por tempo indeterminado. As visitas também foram suspensas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.