Gabinete de Integração afirma que não será permitida a entrada de veículos de grande porte vindos do planalto em direção à margem direita do porto nesta segunda-feira

Bombeiros combatem chamas em tanques da Ultracargo: corporação descarta evacuação
Corpo de Bombeiros/Divulgação
Bombeiros combatem chamas em tanques da Ultracargo: corporação descarta evacuação

Devido ao gigantesco incêndio que atinge o Porto de Santos desde a última quinta-feira (02), autoridades decidiram restringir a descida de caminhões à Baixada Santista a partir desta segunda-feira (06). As chamas em tanques de combustível da empresa Ultracargo, na área industrial do bairro Alemoa, chegaram ao quarto dia de combates neste domingo (05).

A decisão foi divulgada pelo Gabinete de Integração, que reúne setores da Prefeitura e dos governos estadual e federal. De acordo com ela, para evitar que a entrada de Santos fique bloqueada – já que o acesso pelo Viaduto da Alemoa permanece fechado desde o início do incêndio –, a chegada de caminhões do planalto em direção à margem direita do porto não será permitida.

Leia mais:
Combate a incêndio em tanques de combustível em Santos chega ao 4º dia

De acordo com o governo municipal, os veículos serão retidos pela Polícia Federal no Km 40 da interligação do sistema Ancheita-Imigrantes em duas faixas de 8 quilômetros, totalizando 16 km. O trânsito permanecerá livre àqueles que se dirigirem à margem esquerda do porto, em Guarujá.

A prefeitura ainda anunciou que todas as escolas municipais de Santos funcionarão normalmente nesta segunda-feira, mesmo nas dez unidades localizadas na região do incêndio. O funcionalismo público também não sofrerá alterações.

Veja imagens do incêndio que começou na manhã de quinta-feira:

Segundo as autoridades, o incêndio não gerou aumento de procura de atendimento médico nos prontos-socorros municipais por problemas respiratórios.

Dois caminhões autobombas da Petrobras, com maior capacidade de pressão, chegaram à cidade neste domingo para ajudar a extinguir as chamas, cujo combate avançou nas últimas 24 horas – no final da tarde eram três tanques de combustíveis incendiados (um de álcool anidro e dois de cilindros com gasolina.

Leia também:
Incêndio atinge tanques de combustível em área industrial de Santos
Governo de São Paulo cria gabinete de crise para acompanhar incêndio em Santos

A empresa responsável pelos tanques, a Ultracargo, remanejou material de maior risco de combustão em tanques isolados dentro do complexo no porto. Eles receberam água para isolar dos outros em chamas. A companhia também anunciou ter importado um produto chamado cold fire para o combate ao fogo. Mais de cem homens, com 27 viaturas, trabalhavam no local neste domingo.

"Está descartada a possibilidade de evacuação da cidade", esclareceu o coronel do Corpo de Bombeiros Marco Aurélio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.