Os trabalhos das equipes de combate ao incêndio estão focados no resfriamento do tanque que contém etanol, com o objetivo de deter a propagação do fogo

Agência Brasil

O incêndio que começou quinta-feira (2) em depósitos de álcool e gasolina da empresa Ultracargo, no terminal da Alemoa, em Santos, litoral paulista, se alastrou hoje (4) para o sexto tanque, de acordo com informações da empresa e agora quatro reservatórios estão em chamas, enquanto outros dois pararam de queimar. O tanque atingido há pouco tem gasolina, segundo a empresa.

Na mesma bacia de contenção há mais dois tanques. Um deles está vazio e o outro contém etanol. Nenhum deles foi afetado até o momento. Os trabalhos das equipes de combate ao incêndio estão focados no resfriamento do tanque que contém etanol, com o objetivo de deter a propagação do fogo. De acordo com a empresa, o incidente prossegue sem mortos e feridos.

Leia mais: Combate a incêndio em Santos chega ao 3º dia sem previsão para terminar

“As companhias que atuam no Porto de Santos estão colaborando ativamente no combate ao incidente por meio da cessão de equipamentos e recursos humanos. Com esse objetivo, as empresas e órgãos públicos mantêm duas frentes regulares de colaboração: o Plano Integrado de Emergência, da Associação Brasileira de Terminais de Líquidos (ABTL), e o Plano de Ajuda Mútua, que engloba também indústrias dos municípios vizinhos de Cubatão e Mauá”, informou a Ultracargo.

O Corpo de Bombeiros informou que continua atuando para tentar conter e apagar o incêndio, iniciado às 10h da última quinta-feira. São 91 homens, que contam com o apoio de caminhões da Baixada Santista e outros enviados de São Paulo, dos quais são lançados jatos de espuma, além de um navio que retira água do canal do Porto de Santos e dois rebocadores. Outros 90 brigadistas das empresas ao redor apoiam o combate ao fogo. Não há previsão para o fim do incêndio, que pode durar mais de quatro dias.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, disse na manhã de hoje, no local, que a prefeitura está dando toda a retaguarda para o trabalho dos Bombeiros e, caso a população deseje informações atualizadas, basta procurar os canais de comunicação da prefeitura. Em sua página em uma rede social, o prefeito afirmou que o incêndio é de grandes proporções, mas o Corpo de Bombeiros está fazendo um grande trabalho para conter o fogo. Além disso, garantiu que a qualidade do ar na cidade não foi comprometida e a população não corre riscos, de acordo com monitoramento da Cetesb, que foi acionada pela prefeitura para observar a situação.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, Marcos Palumbo, disse que a corporação está fazendo todo o possível para atingir os pontos principais do incêndio o e tentar extinguir o fogo com a água do canal de Santos: “É uma operação em conjunto com Prefeitura de Santos e das empresas que estão nos apoiando. Acreditamos que vamos conseguir. A tarefa está sendo vencida de forma gradativa, e precisa ser feita dessa forma devido à sua complexidade”.

Segundo Palumbo, já foram utilizados 4 bilhões de litros de água retirada do mar: “Todos nós ficamos aflitos em apagar logo o incêndio, mas não é assim que funciona. A água evapora antes de chegar ao fogo devido à alta temperatura. O risco principal é o de pegar em outro tanque, tendo em vista o calor de 800 graus. Não é fácil fazer a extinção desse fogo, mas já evoluímos bastante resfriando os outros tanques”. Devido ao incêndio, um dos acessos ao Porto de Santos foi bloqueado pelas autoridades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.