Justiça proíbe acusados de matar cinegrafista da Band de participar de protestos

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

A Justiça decidiu que Fábio Raposo Barbosa e Caio Silva de Souza sejam monitorados eletronicamente

Agência Brasil

A 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ)  determinou que os dois réus processados pela morte do cinegrafista Santiago Andrade estão proibidos de participar de manifestações, grupos, reuniões e locais de aglomeração de pessoas de cunho político e ideológico. A Justiça decidiu que Fábio Raposo Barbosa e Caio Silva de Souza sejam monitorados eletronicamente.

Vídeo mostra socorro a cinegrafista ferido em protesto no Rio

'Tentam usar morte de cinegrafista para asfixiar protestos', diz Marcelo Freixo

Outras medidas cautelares que serão cumpridas pelos dois são a proibição de manter contato com pessoas conhecidas como black blocs, se recolher em casa à noite nos dias de folga e comparecer periodicamente em juízo.

Por dois votos a um, os desembargadores recusaram a acusação de homicídio qualificado contra os dois acusados de terem acendido o rojão que provocou a morte de Andrade, em fevereiro do ano passado. A Justiça também determinou a soltura dos dois.

O cinegrafista Santiago Andrade foi atingido na cabeça por um morteiro durante protesto no Rio de Janeiro
Reuters
O cinegrafista Santiago Andrade foi atingido na cabeça por um morteiro durante protesto no Rio de Janeiro


Leia tudo sobre: cinegrafistaSantiago Andradeprotestosmorte

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas