Sindicatos saem às ruas hoje em apoio a Dilma

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Protestos começaram na manhã desta sexta -feira (13) em frente a diversas unidades da Petrobras por todo o País

 Manifestantes vão sair em passeata pelas ruas do Recife. Foto: Giselly Santos/LeiaJáImagens Manifestantes vão sair em passeata pelas ruas do Recife. Foto:  Giselly Santos/LeiaJáImagens Manifestantes vão sair em passeata pelas ruas do Recife. Foto: Giselly Santos/LeiaJáImagensNa manhã desta sexta (13), protesto de centrais sindicais em Minas Gerais fechou a BR-381 . Foto: JOÃO LEUS / O TEMPO BETIMProtesto em apoio à Petrobras ao lado da Câmara de Vereadores de Recife (PE), na manhã desta sexta-feira (13). A manifestação foi convocada por centrais sindicais. Foto: Marlon Costa/Futura PressManifestantes participam de ato em Salvador (BA), na manhã desta sexta-feira (13), do dia de manifestações em apoio à Petrobras. Foto: omildo de Jesus/Futura PressPetroleiros fazem protesto em frente à refinaria da Petrobras, Regap, em Minas Gerais. Foto: Divulgação/Sindicato dos PetroleirosEm Betim (MG), os petroleiros começaram os protestos em favor da Petrobras no início da manhã desta sexta (13). Foto: JOÃO LEUS / O TEMPO BETIM


Dezenas de centrais sindicais sairão às ruas nesta sexta-feira (13), em capitais de todo o Brasil, para demonstrar apoio à presidente Dilma Rousseff e rejeitar os boatos de impeachment. A pauta de reivindicações também cobra mais interlocução com o Palácio do Planalto. Os protestos, organizados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), conta com o apoio dos partidos PT, PC do B e PSOL, além de entidades como Movimento dos Trabalhadores Rurais e Sem Terra (MST) e União Nacional dos Estudantes (UNE).

Porto de Santos

A circulação de veículos foi bloqueada nas duas pistas da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, uma das principais ligações de acesso ao Porto de Santos, entre Cubatão, na Baixada Santista, e o Guarujá, no litoral norte. A interdição provocada por uma manifestação ocorre no quilômetro (km) 268.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, a concessionária informou que a manifestação é de moradores de Cubatão em protesto contra a contratação de pessoas de fora da cidade para cargos oferecidos no Polo Industrial da Baixada Santista.

Paulínia

Os petroleiros da Refinaria de Paulínia, na região de Campinas, atrasaram a entrada hoje (13) em serviço por cerca de uma hora e meia, segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), para ouvir os esclarecimentos sobre a mobilização nacional em defesa da Petrobras, dos direitos da classe trabalhadora e da democracia. O ato ocorre hoje (13) em várias capitais. Em São Paulo começará às 15h, na Avenida Paulista, em frente à sede regional da estatal.

Rio em defesa da Petrobras

Trabalhadores da Refinaria de Duque Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, fizeram hoje (13) uma paralisação de quatro horas em defesa da Petrobras. Entre 5h e 9h, petroleiros, movimentos sociais e estudantes protestaram em frente a unidade, contra o anúncio de desenvestimento (venda de ativos) de US$ 13,7 bilhões da estatal e que provocará desemprego no país, na avaliação do sindicato da categoria.

Recife

Centenas de manifestantes estão concentrados no Parque 13 de Maio, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, para sair em passeata em defesa da Petrobras, do direito dos trabalhadores e da Reforma Política. O ato desta sexta-feira (13) é organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) e tem o apoio do PT estadual.

De lá, eles pretendem seguir em passeata pelas ruas do Recife até a Avenida Guararapes. A mobilização tem intrínseca a defesa pelo governo petista, já que no domingo (15) uma série de manifestações espalhadas pelo país vai defender o impeachment da presidente Dilma. Apesar do intervalo curto entre os dois atos e a interligação da CUT com o PT, o presidente da Central em Pernambuco, Carlos Veras, negou qualquer ligação entre as duas manifestações.

Apoio

A CUT disse que mobilizou 3.820 sindicatos em 27 capitais do país. Serão oferecidos ônibus, faixas, cartazes e camisetas aos participantes. Apesar da mobilização, o Palácio do Planalto teme que haja confrontos entre sindicalistas e opositores ao governo, o que poderia prejudicar a imagem de Dilma, já fragilizada com o panelaço do último domingo.

Os atos percorrerão São Paulo, principalmente no período da tarde, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Maria, Florianópolis, Blunemau, Joinville, Curitiba, Campinas, Sorocaba, São Carlos, Bauru, Juiz de Fora, Belo Hozione, Vila Velha, Salvador, Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Natal, Mossoró, Campina Grande, Fortaleza, Belém, Palmas, Macapá, entre outros municípios.

Oposição

No próximo dia 15, grupos contrários ao governo já convocaram passeatas em mais de 60 cidades brasileiras.

*Com Ansa e Agência Brasil 

Leia tudo sobre: protestopetrobras

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas