PF apreende mais de 100 kg de crack e cocaína no Rio e em São Paulo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Tanzaniano entrou no Brasil após pedido de refúgio. PF encontrou drogas escondidas dentro de 21 bolsas femininas

Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje (13), no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), duas pessoas que transportavam 15 quilos (kg) de cocaína. A maior parte da droga (13kg) estava com um tanzaniano. Outros 2kg estavam sendo transportados por um sul-africano. A ação da PF contou com a participação da Intercops, um programa de cooperação internacional que atua em aeroportos com o objetivo de reprimir crimes como tráfico internacional de drogas.

O tanzaniano entrou no Brasil após pedido de refúgio e, por esse motivo, já era aguardado por policiais no aeroporto. Na PF, teve suas bagagens revistadas e a droga foi encontrada escondida dentro de 21 bolsas femininas. O homem foi preso em flagrante.

PF apreende cerca de 15 kg de drogas no aeroporto de São Paulo
Divulgação/PF
PF apreende cerca de 15 kg de drogas no aeroporto de São Paulo

Pouco depois, com a ajuda de cães farejadores, os policiais abordaram outro passageiro. Ele estava na fila de check-in de um voo com destino à África do Sul, seu país de origem. Com o alerta dado pelos cães, o sul-africano foi conduzido a um aparelho de raio x, que detectou cerca de 2 kg de cocaína no fundo falso de uma mochila. Os dois presos encontram-se no presídio estadual, onde ficarão à disposição da Justiça respondendo pelo crime de tráfico internacional de drogas.

Em outra operação, ontem (12), no Rio de Janeiro, foram apreendidos cerca de 90 kg de cocaína e crack em um sítio localizado no município de Queimados, na Baixada Fluminense. A apreensão ocorreu após a prisão de um homem que, segundo a PF, é o principal fornecedor de uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas no estado.

A PF informou em nota que as investigações tiveram início há oito meses, após suspeitas de que o sítio, estaria sendo usado como entreposto para armazenar drogas trazidas de outros estados. O traficante foi preso no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, quando desembarcava de um voo vindo de São Paulo.

Quase 70% dos presos por maconha no Brasil tinham menos de 100 gramas

Em teoria, no Brasil usuários de maconha e outras drogas não podem ser presos; no entanto, devido à lei depender de subjetivismos, quem usa a erva ainda é passível de ir à cadeia. Foto: Getty ImagesSegundo levantamento do Instituto Sou da Paz, 67,7% dos presos por tráfico de maconha portavam menos de 100 gramas da droga - ou seja, ou eram usuários ou microtraficantes. Foto: DivulgaçãoAno a ano, diversas cidades brasileiras registram milhares nas ruas pedindo a liberação da droga. Foto: Futura PressPaís que era conhecido como dos mais restritos em relação à droga, os EUA têm visto nos últimos anos vários estados liberando a maconha medicinal (na foto, prescrição da erva). Foto: DivulgaçãoAlém disso, dois estados, Washington e Colorado, já liberaram o uso recreativo da maconha para seus cidadãos, o que dá força ao debate. Foto: Getty ImagesA discussão ganhou força no Brasil neste ano devido à necessidade de famílias de importarem o óleo de maconha - o canabidiol - para tratamento de doenças. Foto: APAssim como ocorre no Brasil, em países como os EUA são denunciadas prisões por porte de drogas que acabam encarcerando principalmente negros e pobres. Foto: Getty ImagesApesar de políticas liberalizantes à droga em alguns países, a guerra contra a maconha continua forte no mundo. Foto: Getty ImagesPara especialistas, é improvável que a maconha venha a ser realmente legalizada em um futuro próximo no Brasil. Foto: APPara o Instituto Sou da Paz, é necessária a aplicação de penas alternativas para impedir que microtraficantes e usuários venham a se tornar criminosos nas cadeias. Foto: Getty ImagesAssim, experiências como os coffee shops de Amsterdã, na Holanda, estão distantes da realidade nacional. Foto: Getty ImagesOutros países, como a Espanha, também têm experiências semelhantes, como a da foto (Barcelona). Foto: Getty ImagesVizinho do Brasil, o Uruguai foi o primeiro país a legalizar e a estatizar a produção da droga no mundo, no ano passado. Foto: ReutersPor enquanto, no Brasil, debates importantes, como os realizados no Senado, tentam encontrar soluções para a questão da droga. Foto: Futura Press


Leia tudo sobre: drogaspftráfico de drogas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas