Itamaraty, Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envira e Canutama estão em situação de emergência. Outras sete cidades em alerta

Agência Brasil

No Amazonas, a cheia dos rios já afetou mais de onze mil famílias nas regiões do Alto Solimões, Juruá, Madeira e Purus.O dado é da Defesa Civil do Estado. Para essas regiões já foram enviadas mais de cem toneladas de donativos, entre cestas básicas, kit dormitórios com colchões, redes, mosqueteiros, lençóis, kits de higiene pessoal e purificadores de água.

Estão em situação de emergência os municípios de Itamaraty, Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envira e Canutama. Já os municípios de Tabatinga, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tonantins, Benjamin Constant, Humaitá, Boca do Acre estão em estado de alerta e Tapauá entrou e, estado de Atenção devido a cheia.

O Governo do Amazonas, lançou a campanha “Governo Solidário: Faça parte dessa corrente também”, para arrecadar donativos às vítimas da cheia dos rios. As doações para a campanha podem ser feitas na sede da Defesa Civil estadual, na avenida Carvalho Leal, número 1659, bairro Cachoeirinha, zona centro-sul de Manaus.

A Defesa Civil recomenda a doação de alimentos não perecíveis com prazo de validade de até seis meses, fraldas infantis e geriátricas, redes e sandálias de borracha novas.

11 mil pessoas desabrigadas no Acre

No Estado vizinho, as enchentes do rio Acre já deixaram 11.682 pessoas desabrigadas. A maior parte das vítimas está em Rio Branco. 

As fortes chuvas que atingem o Acre castigam moradores de nove dos 22 municípios acrianos: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia, Manuel Urbano, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Xapuri. De acordo com o boletim do Ministério da Integração Nacional, 133.387 pessoas foram afetadas pelas enchentes, o que significa um a cada seis moradores do Acre. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.