Cheia histórica atinge nove dos 22 municípios do Estado. Até hoje, 105 mil habitantes tiveram de abandonar suas casas

As enchentes no Acre já deixaram 11.682 pessoas desabrigadas, segundo o último boletim divulgado neste sábado pelo Ministério da Integração Nacional. A maior parte das vítimas está em Rio Branco. 

As fortes chuvas que atingem o Estado da região Norte castigam moradores de nove dos 22 municípios acrianos: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia, Manuel Urbano, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Xapuri.

De acordo com o boletim, 133.387 pessoas foram afetadas pelas enchentes, o que significa um a cada seis moradores do Acre. 

Dessas, 105.674 habitantes já tiveram de deixar suas casas por conta das enchentes. A maioria deles (94,8 mil) moram em Rio Branco. Sena Madureira também soma um grande número de desalojados (5.894).

Até o momento, apenas uma morte foi registrada em decorrência da cheia histórica do Rio Acre em Rio Branco. Fátima Lima de Moura, de 62 anos, morreu em decorrência de uma forte descarga elétrica, segundo o governo do Acre.

Nível dos rios

O nível do rio Acre estava em 6,95 metros em Brasileira e Epitaciolância, segundo medição do Corpo de Bombeiros Militar (CBMAC) na manhã deste sábado (28). 

Em Xapuri, apesar do nível do rio ter baixado para 17, 62 metros, ainda permanece bem acima da cota de transbordamento que é de 13,40 metros. No município, cerca de 1,2 mil pessoas foram atingidas.

Na capital acriana, o nível do rio continua subindo. Às 9 da manhã deste sábado, o nível do rio na capital era de 16,89 metros.

Em Sena Madureira, o nível do Rio Iaco continua subindo e media na manhã deste sábado 16,75 metros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.