Achados arqueológicos no centro do Rio indicam costumes do século 16

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Foram encontrados cachimbos nativos, louças, cerâmicas e outros materiais de uso cotidiano e estruturas de casas

Agência Brasil

Prestes a completar 450 anos, neste domingo (1º), a cidade do Rio de Janeiro não tem edifícios de seus primórdios ainda de pé. Nenhuma casa do século 16 sobreviveu às mudanças urbanísticas e à especulação imobiliária dos últimos quatro séculos. Por esse motivo, descobertas recentes no centro da capital fluminense prometem ajudar a revelar segredos ainda escondidos sobre hábitos e costumes desses primeiros habitantes "cariocas".

Em um terreno de 800 metros quadrados, na esquina da 1º de Março com a Rua do Rosário, no centro, arqueólogos encontraram estruturas remanescentes do final do século 16, sob edificações mais novas. Além de cachimbos nativos, louças, cerâmicas e outros materiais de uso cotidiano, arqueólogos encontraram estruturas das estacas que ergueram as casas mais antigas, possivelmente de 1580.

Uma das responsáveis pela pesquisa no local, Jeanne Cordeiro, do Laboratório de Arqueologia Brasileira, explicou que será possível, pelas marcações encontradas, traçar um desenho dessas casas ocupadas a partir de 1580. Naquela época, a 1º de março chamava-se Rua Direita.

“Temos cozinhas, um vaso turco que seria um banheiro precário, quintais fechados, pátios com poço para captação de água. Esse todo nos ajuda a entender esse Rio de Janeiro, o que ele significa e por que nós somos dessa maneira”, disse ela, ao lembrar que a maioria das casas daquela época era feita com estuque e coberta com palha e sapê. Poucas tinham telhas. “Eram estruturas muito frágeis. Somente no fim do século 16, início do século 17, começam a construir casas em pedra e cal, mais duradouras.”

Ali será construído um edifício do Banco Bradesco. Nos últimos dez anos, a lei determina que toda obra de grande porte deve ter uma equipe durante o processo de escavações para estudo de impacto arqueológico. Algumas das estruturas encontradas ficarão expostas no novo edifício. “O poço, por exemplo, será preservado e ficará no hall do banco, será um espaço de memória”, informou.

Jeanne explicou que o sítio pesquisado era um lote só, que se estendia da Rua do Rosário até a da Alfândega. A partir do século 17, por volta de 1623, começou a ser dividido em lotes menores até chegar a sete. Era composto por casas térreas e sobrados com três andares.

Os arqueólogos constataram que uma das casas pertenceu ao nobre português Manuel de Brito, dono de terras, que chegou ao Brasil com Estácio de Sá, fundador da cidade. Documentos apontam que o atual Mosteiro de São Bento ocupa o terreno que ele doou aos beneditinos. As pesquisas também revelaram que um nativo chamado Martinho índio morou no local. “Mas esperamos, com mais estudos, compreender que tipo de habitação ele possuía”, ressaltou Jeanne.

Para a arqueóloga Angela Buarque, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), os achados têm grande relevância histórica, sobretudo, devido à falta de documentos e culturas materiais desse período de formação da cidade.

“A partir do século 18, 19, há muito registro, mas sobre o século 16, em particular para essa ocupação, os dados são precários. A maior parte se perdeu. O registro agora, como está sendo feito, pode trazer no futuro dados fundamentais sobre esse período," comentou. “Existem informações escassas sobre sítios do século 16, não conheço nem uma única publicação de arqueologia sobre o centro do Rio de Janeiro que abarque o século 16”, informou ela.

A arqueóloga lembrou que um incêndio na antiga Câmara dos Vereadores em 1790 destruiu a maior parte do acervo daquela época. “Esses achados [na 1º de Março] acabam suprindo carências desses dados primários, desses documentos que foram destruídos.”

Outro aspecto interessante sobre o sítio arqueológico da 1º de Março, segundo ela, é o fato de que no terreno há camadas de diferentes períodos históricos que revelam as diferentes ocupações e as transformações no espaço de viver.

Angela ressaltou que pouco se sabe sobre o episódio em que grupos indígenas Tupi ajudaram os portugueses a expulsar os franceses da região, na segunda metade do século 16. O cacique Arariboia, líder de uma dessas tribos, ganhou dos portugueses terras onde hoje se encontra Niterói, cidade na região metropolitana fundada por ele. “Antes, esses grupos viveram na região do centro do Rio. A cultura material tem ajudado a esclarecer esse momento histórico”, completou.

Veja fotos do Rio de Janeiro

 Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos PúblicasRio de Janeiro, 450 anos. Foto: BBC Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas Pontos Turísticos, históricos, festas e vistas incríveis da Cidade Maravilhosa
. Foto: Fotos Públicas


Leia tudo sobre: igrjrio de janeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas