Quase uma semana após acidente em navio-plataforma da Petrobras, três funcionários ainda continuam desaparecidos

Quase uma semana após a explosão em um navio-plataforma que operava no Espírito Santo, foi confirmada mais uma morte no acidente. O corpo de um funcionário foi encontrado na tarde desta terça-feira (17), elevando para seis o número de mortos na base da Petrobras.

Veja fotos da explosão no FPSO Cidade de São Mateus:

De acordo com nota divulgada pela BW Offshore, responsável pelas operações no navio-plataforma, o corpo do homem que estava desaparecido foi localizado dentro da embarcação que explodiu e, posteriormente, encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Vitória para ser identificado.

Leia mais:
Agência federal pede interdição de plataforma da Petrobras que explodiu no ES

A explosão  ocorreu na última quarta-feira (11) e cinco pessoas ainda seguem internadas com ferimentos, segundo a concessionária, todas em estado estável. Além dos seis mortos, três funcionários continuam desaparecidos.

A BW Offshore confirmou que se reunirá nesta quinta-feira (19) com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Espírito Santo (CREA-ES) para esclarecer possíveis irregularidades na operação do FPSO Cidade de São Mateus, responsável pela extração de petróleo e gás nos campos de Camurupim e Camurupim Norte, localizados na Bacia do Espírito Santo, a 120 quilômetros do litoral.  Segundo o órgão, o navio-plataforma estava irregular.

Leia também:
Navio-plataforma da Petrobras operava de forma irregular, diz Crea
Após acidente em plataforma da Petrobras, ações da estatal fecham em alta

"O CEO da BW Offshore, Carl Arnet, esteve reunido com as famílias dos falecidos e desaparecidos no acidente. Ele também se reuniu com os membros da tripulação", diz a nota. Segundo a concessionária, o "São Mateus está estável e sem entrada de água do mar. O casco do navio permanece íntegro e, para garantir a estabilidade interna, o processo de mergulho para instalação de tampas nas caixas de mar segue em andamento".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.