Posto de saúde tem falta de médicos e sofre com violência na zona norte de SP

Por Anderson Passos - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pacientes e funcionários reconhecem falta de pediatra e de clínico geral na AMA/UBS localizada no Jardim Ceci; para prefeitura, falta de médicos é problema nacional

Filas, salas lotadas e a espera quase conformada pelo atendimento médico de pacientes que aguardam por um clínico geral ou um pediatra. Esse foi o cenário flagrado pela reportagem do iG ao visitar nesta quarta-feira (28) a Unidade Básica de Saúde (UBS) e o Atendimento Médico Ambulatorial (AMA) no Jardim Ceci, zona note da capital paulista. 

Santa Casa de São Paulo atrasa salários e nega atendimento a ambulâncias no PS

Relembre: Santa Casa de SP fecha pronto socorro

A unidade é gerida em parceria pela prefeitura de São Paulo e pela Organização Social De Saúde Associação para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). No mural da mesma, a comprovação de um drama: a escala de médicos de plantão, principalmente a da segunda-feira, mostra que estão em aberto vagas de plantonistas de clínica geral e pediatria. 

"Esse problema não é só aqui. É geral na zona norte", disse um funcionário que pediu anonimato. A fonte explicou que quando os profissionais de medicina vão para a residência, acabam deixando os postos de saúde e a reposição é demorada. 

Outro ponto é a violência que parte tanto de usuários como de marginais. No primeiro caso, a demora no atendimento reflete em xingamentos e tentativas de agressão por acompanhantes de pacientes. "Só faltam bater na nossa cara", confessou um servidor pedindo sigilo. 

A unidade, que fica nas proximidades da Avenida Inajar de Souza, também é assolada pela criminalidade. Nos finais de semana à noite, quando o local está fechado para o público, é comum a realização de festas entre jovens e a partilha de produto de roubo por bandidos. 

O local, durante o dia, recebe proteção de dois seguranças. À noite, um alarme tenta garantir que o local não será vandalizado. A reportagem flagrou que uma sala de descanso externa dos funcionários teve os vidros quebrados e materiais de manutenção como escada, tintas e ferramentas roubados. 

Mais: Ministério anuncia auditoria em repasses para Santa Casa

Unidade Básica de Saúde (UBS) e Atendimento Médico Ambulatorial (AMA) no Jardim Ceci, zona note de São Paulo
Anderson Passos/iG São Paulo
Unidade Básica de Saúde (UBS) e Atendimento Médico Ambulatorial (AMA) no Jardim Ceci, zona note de São Paulo


Problema nacional 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde defende que a UBS possui em seu quadro três clínicos, quatro pediatras e quatro ginecologistas e que a cada mês são realizado "em média, 2.800 consultas médicas e 6.000 procedimentos de enfermagem, além de grupos de educação e prevenção em saúde". 

A pasta defende ainda que "não há espera para agendamento e sequer para atendimento. Há vagas disponíveis para agendamento nas especialidades acima mencionadas ainda para o mês de fevereiro". 

O comunicado da prefeitura enfatiza ainda que quando há falta de médicos, os pacientes são encaminhados para as demais AMAS da região. "Para suprir a falta de médicos – que é um problema Nacional - a secretaria Municipal da Saúde (SMS) abriu concurso para a contratação de médicos, aderiu ao Programa Mais Médicos, do Governo Federal, e publica, desde julho de 2013, em seu site as vagas abertas pelas Organizações Sociais" completa. 

Segundo a SMS, em relação às questões de segurança, a Guarda Civil Metropolitana já foi orientada sobre o problema.

Quadro mostra que há falta de médicos na unidade
Anderson Passos/iG São Paulo
Quadro mostra que há falta de médicos na unidade


Leia tudo sobre: iGSPzona norteposto de saúdemédicos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas