MP desaconselha que Santa Casa venda hospital; irmandade diz que negócio é boato

Por Anderson Passos , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Hospital Santa Isabel, pertencente à Irmandade de São Paulo, passa por crise e é alvo de inquérito de Promotoria

A Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo classificou como boato a possibilidade de venda do Hospital Santa Isabel - pertencente à Irmandade e que atende a pacientes de convênios particulares. Os recursos oriundos da negociação poderiam atenuar a dívida de aproximadamente R$ 800 milhões da entidade.

Leia mais:

Santa Casa de SP admite demitir funcionários para conter crise financeira

'Gestão da Santa Casa de SP é amadorística, para dizer o mínimo', diz promotor

Médicos articulam afastamento de provedor da Santa Casa de São Paulo

Na última quarta-feira (14), a Promotoria de Justiça de Direitos Humanos - Área da Saúde Pública instaurou inquérito civil para apurar a crise financeira pela qual passa o Hospital Santa Isabel. Em paralelo, a Ministério Público paulista também expediu uma recomendação ao superintendente e provedor da Santa Casa, Kalil Abdalla, para que “não seja entabulada nenhuma negociação ou compromisso de compra e venda do patrimônio da Santa Casa de Misericórdia, inclusive do Hospital Santa Isabel, sob pena de serem tomadas as medidas judiciais cabíveis para anulação do negócio jurídico”. A Secretaria Estadual de Saúde também foi comunicada neste sentido. 

A iniciativa se deu porque a promotoria recebeu a informação de que a atual administração da Irmandade da Santa Casa estaria negociando a venda do Hospital Santa Isabel para um dos seus devedores, a Unimed, que em outubro de 2014 somava R$ 20 milhões em débitos com o hospital.

Mais boatos e seca no caixa

Sobre a possibilidade de enxugamento do número de funcionários, parte de um plano de recuperação da Santa Casa implantado em setembro do ano passado, a entidade reconhece que haverá cortes, mas nega que 1,7 mil funcionários serão demitidos. "Primeiro vamos comunicar as equipes e, a seguir, avisar a imprensa", esclareceu a assessoria destacando que, por ora, um Plano de Demissão Voluntária (PDV) está descartado. Não há prazo para essa comunicação interna ser feita.

Mais Santa Casa: Médico e herdeiro do Itaú: Kalil simboliza falta de credibilidade

Na quinta-feira (22), representantes da Santa Casa, dos médicos, dos enfermeiros e de sindicatos participaram de uma mesa de negociação no Ministério do Trabalho em São Paulo. A entidade não pagou parte do 13º e os salários de dezembro.

A Irmandade Santa Casa ainda não recebeu resposta da Caixa Econômica Federal (CEF) sobre um pedido de empréstimo de R$ 44 milhões solicitado no final de dezembro. A assessoria do banco informou que, por razões de sigilo bancário, não pode divulgar o status da transação.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas