Presos protestam contra superlotação de cadeias de Pernambuco

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Nesta segunda-feira, um tumulto resultou na morte de um sargento da PM e de um preso, e deixou 29 detentos feridos

Agência Brasil

Detentos de dois estabelecimentos prisionais de Pernambuco voltaram a protestar, hoje (20), contra a superlotação e o que classificam como péssimas condições das unidades carcerárias. Uma das manifestações aconteceu no Complexo Prisional do Curado, no Recife (PE). Ontem (19), o mesmo local já tinha sido palco de um tumulto que resultou nas mortes de um sargento da Polícia Militar (PM) e de um preso, além de 29 detentos feridos.

A nova confusão no Curado começou por volta das 9h30 de hoje. Segundo a assessoria da PM, presos chegaram a subir no telhado de alguns pavilhões, mas, até o momento, não há relato de confrontos, violência ou tumulto mais grave. Policiais do Batalhão de Choque, das companhias de Operações Especiais e de Cães e do Corpo de Bombeiros estão no interior do complexo, de prontidão, mas, até a publicação desta reportagem, a intervenção policial não tinha sido necessária.

Contrariando o relato da PM, órgãos de imprensa de Pernambuco relatam que parentes de presos que esperavam por notícias do lado de fora do complexo afirmam ter ouvido tiros logo após o início da confusão e que a constatação de fumaça saindo do pátio da unidade pode ser um indício de que a ocorrência seja mais grave, podendo inclusive se tratar de uma nova rebelião.

O outro tumulto foi registrado na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, região metropolitana do Recife. Policiais militares foram acionados para reforçar a segurança, mas a PM afirma que, até o momento, a “manifestação” dos presos é pacífica, não tendo sido necessário o uso da força de contenção.

A reportagem ainda não conseguiu contato com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres). Ontem (19), após o tumulto no Complexo Prisional do Curado ter sido controlado, o número de agentes penitenciários foi ampliado. O governo estadual voltou a anunciar que, para contornar o problema da superlotação em alguns estabelecimentos prisionais, vai concluir em breve as obras do Complexo Prisional de Tacaimbó, da Cadeia de Santa Cruz do Capibaribe, do Presídio de Itaquitinga e ampliar o Complexo Prisional do Curado.

Leia tudo sobre: Pernambucopresosdetentosrebeliãopresídio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas