Ruas da Vila Mariana e Vila Clementino, zona sul paulistana, enfrentam problemas causados pela queda de árvores

Agência Brasil

O fornecimento de energia elétrica ainda não foi completamente restabelecido na Grande São Paulo. Nesta quarta-feira (14) à noite, a AES Eletropaulo divulgou balanço informando que 250 mil clientes estavam sem luz. A maior parte dos problemas começou com a tempestade de segunda-feira (12). A situação foi agravada pela chuva de ontem, que derrubou árvores e galhos na rede de transmissão.

Sem chuvas, nível dos reservatórios do Sistema Cantareira volta a cair

Nesta quinta-feira (15) à tarde, ainda estavam sem energia consumidores de toda área de atuação da Eletropaulo, que engloba 24 municípios da região metropolitana da capital. Algumas ruas da Vila Mariana e Vila Clementino, zona sul paulistana, enfrentam problemas, segundo a empresa, causados pela queda de árvores de grande porte sobre a rede.

O consumidor que tiver problemas de falta de energia pode fazer uma reclamação ao Procon. Dependendo da situação, o cliente poderá solicitar abatimento do tempo que não contou com o serviço prestado.

Em casos de aparelhos e eletrodomésticos danificados, o consumidor, no prazo de 90 dias da ocorrência, pode pedir ressarcimento à AES Eletropaulo. Após vistoria e comprovação do problema, a concessionária terá de restituir o valor do produto, substituí-lo ou repará-lo.

Desde o dia 29 de dezembro, o Procon de São Paulo recebeu mais de mil reclamações contra a Eletropaulo. Na terça-feira (13), o órgão aplicou uma multa de R$ 3,7 milhões contra a concessionária. O motivo foi a demora em reestabelecer o fornecimento de energia no Hospital Municipal e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco. O local ficou às escuras por mais de oito horas, entre a noite do último dia 5 e a madrugada do dia 6. 




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.