Empresa alega dívida milionária e rompe contrato com Santa Casa em São Paulo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Hospital espera nos próximos dias uma resposta positiva para o empréstimo de R$ 44 milhões feito à Caixa Econômica Federal

Agência Brasil

Sob a alegação de que o hospital deve R$ 79 milhões por serviços prestados, materiais e medicamentos já entregues, a Logimed, empresa que fornecia remédios e insumos à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, rescindiu contrato com a instituição.

Santa Casa de São Paulo atrasa salários e nega atendimento a ambulâncias no PS

Santa Casa rescinde contrato com terceirizada e fica sem serviço de limpeza

“Por conta disso, a Logimed acumulou dívida de R$ 11 milhões com seus fornecedores e registra protestos contra a empresa no valor de R$ 3,5 milhões”, informa comunicado da empresa.

Por meio da assessoria de imprensa, a Santa Casa/SP informou que, a partir desta quarta-feira (7), vai assumir as atividades que eram desenvolvidas pela Logimed. O hospital garante que já vinha se preparando para realizar o trabalho que era feito pela companhia terceirizada.

A Santa Casa espera receber nos próximos dias uma resposta positiva para o pedido de empréstimo de R$ 44 milhões feito à Caixa Econômica Federal. Com o montante, a instituição pretende pagar os salários referentes a novembro e o 13º de médicos e funcionários.

O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) marcou para a próxima sexta-feira (9) uma reunião entre médicos e representantes da direção do hospital para discutir os salários atrasados. O sindicato disse ter recebido confirmação de que os salários de dezembro serão pagos hoje e os dos demais meses em atraso, até o dia 23, de acordo com o Simesp. A Santa Casa acumula dívidas que passam de R$ 770 milhões.

Área de atendimento inicial do Pronto-Socorro Geral na manhã de sábado (20). Foto: Maíra Teixeira/iGSanta Casa de Misericórdia, com crise, mas tranquila. Foto: Maíra Teixeira/iGO baixo movimento na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo se deve à época do ano e ao receito de o paciente não encontrar atendimento. Foto: Maíra Teixeira/iGSala de espera da Santa Casa de Misericórdia no sábado (20). Foto: Maíra Teixeira/iGÁrea de chegada de ambulâncias e emergência; dia de calmaria. Foto: Maíra Teixeira/iGFachada traseira do Pronto-Socorro Geral da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo . Foto: Maíra Teixeira/iG


Leia tudo sobre: santa casaempresacontratorompedívida

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas