Atenção constante é fundamental para não esquecer crianças, diz especialista

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Esquecer criança dentro do carro pode resultar em morte; especialista alerta para um cuidado maior quando mudar a rotina, que aumenta a chance de esquecimento

Agência Brasil

Nesta época de fim de ano, quando muitas vezes a rotina é quebrada pelas férias e por diversos eventos sociais, os pais e responsáveis pelo transporte de crianças devem redobrar a atenção para evitar casos de esquecimentos dentro do carro. A principal orientação dos especialistas para os pais é para estarem sempre atento aos filhos, especialmente no caso de bebês e crianças pequenas, e serem especialmente cuidadosos quando mudarem a rotina para deixar as crianças na creche ou em outro local.

“Toda vez que saímos da rotina e dos horários do dia a dia acaba tendo essa chance de esquecimento. Especialmente nesses períodos de férias e quando sai da rotina, devemos estar ainda mais atentos para isso não acontecer”, diz a coordenadora da Rede Criança Segura, Gabriela Guida.

Na última semana, duas crianças morreram dentro do carro após serem esquecidas pelos pais. O primeiro caso foi o de uma menina de dois anos, em São Bernardo do Campo (SP), que foi deixada pelo pai. Outro caso aconteceu em Belo Horizonte (MG), com uma bebê de um ano e 11 meses, esquecida pela mãe.

A tecnologia pode ser uma aliada dos pais nessas horas. O alarme do telefone celular, por exemplo, pode ser acionado para lembrar de deixar a criança em algum lugar específico. “Os pais podem colocar um alarme dizendo 'deixar a criança na escola', para lembrar o que deve ser feito”, recomenda Gabriela. Outra medida é pedir para a creche avisar caso a criança não chegue ao local após alguns minutos do horário que ela costuma ser deixada.

Outra dica para que os pais não esqueçam as crianças dentro dos carros é colocar algum objeto que será utilizado na próxima parada – como uma bolsa, mochila ou maleta – no chão do banco de trás, onde a criança está sentada. No entanto, essa atitude pode representar um risco no caso de acidentes. “Qualquer objeto dentro do carro pode ser um grande risco no caso de colisão”, alerta a especialista.

A psicóloga Mariana Vasconcellos, que trabalha com terapia de casais e família, reforça que a época de fim de ano pode ser mais propícia para acidentes como esses. “No fim do ano, as pessoas têm muito mais coisas para fazer do que o normal como ir em happy hours de encerramento de ano, dormir mais tarde e acordar no mesmo horário, comprar presentes. As pessoas ficam em um stress maior do que o comum, e isso pode auxiliar nessas falhas do cérebro”, explica.

Para evitar que tragédias como essas aconteçam, ela destaca que é preciso eleger prioridades e prestar atenção no ritmo de vida que estamos levando. “Se você está muito cansado e estressado, deve pensar no que pode mudar. Se for preciso, pedir ajuda para não acumular coisas demais. Isso não é sinal de fraqueza, nós somos seres humanos e não podemos dar conta de 100% das tarefas”, diz.

Segundo a ONG Criança Segura, uma criança esquecida no carro com temperatura externa de 38° pode chegar a ficar exposta a uma temperatura de até 60° dentro do veículo. Esquecida no carro, a criança pode sofrer queimaduras graves, paradas cardíacas e respiratórias.

A entidade diz que crianças nunca devem ser deixadas sozinhas dentro do carro, mesmo com o vidro aberto. Os pais também devem orientar os filhos a não brincar dentro dos veículos, especialmente no porta-malas.

Leia tudo sobre: brasilesquecimento de criançasmortesveículos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas