Assistente social Edelvânia Wirganovicz disse que o irmão dela Evandro, que está preso por participação no crime, é inocente

Assistente social prestou depoimento ao juiz
Reprodução
Assistente social prestou depoimento ao juiz

Em depoimento à Justiça do Rio Grande do Sul, a assistente social Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta de Bernardo Uglione Boldrini, Graciele Ugulini. O menino de 11 anos encontrado morto em Frederico Westphalen, no Rio Grande do Sul em abril de 2014, afirmou em um vídeo que não matou a criança, mas confirmou que teria feito a cova do garoto. 

Leia mais:  Vídeo mostra últimos momentos de Bernado Boldrini com vida no Rio Grande do Sul

Laudo aponta que Bernardo Boldrini não foi enterrado vivo

"Eu não matei. Eu somente fiz a cova. Eu não matei o Bernardo", diz Edelvânia, durante depoimento. 

No vídeo, Edelvânia também defende a inocência do irmão Evandro Wirganovicz. Um carro com características parecidas ao dele teria sido visto próximo ao local do crime. 

"Ele está lá pagando por uma coisa que ele não fez". 

O juiz responsável pelo caso ouviu seis testemunhas de defesa nessa quarta-feira 10. O próximo passo é ouvir o depoimento dos quatro réus.

Bernardo foi encontrado morto em um matagal. O pai, Leandro Boldrini, é acusado de ser, ao lado da madastra Graciele, autor da morte do filho. Além do casal, os rimãos Edelvânia e Evandro estão presos e respondem pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio qualificado. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.