Reportagem obteve recibo do Correios e carimbos de cartório antes de sair o resultado; registros não garantem conteúdo

Primeira carta, com selo de reconhecimento de firma, que não garante o teor
Vitor Sorano/iG - 27.11.14
Primeira carta, com selo de reconhecimento de firma, que não garante o teor

Você já deve ter visto alguma carta premonitória que é apresentada como verdadeira por conter selo e carimbo de cartório e até mesmo recibo do Correios anteriores ao fato previsto. Acontece que esses registros não garantem que o documento seja real.

Leia também: Mega-Sena acumula e vai pagar R$ 7,5 milhões no próximo sorteio

Como exemplo de que é possível criar uma fraude, o iG criou uma falsa carta premonitória dos números que foram sorteados na Mega-Sena nessa quarta-feira (26): 04, 06, 11, 43, 54 e 56. Veja o vídeo abaixo.

Antes do sorteio, a reportagem levou a dois cartórios duas versões da carta sem os números e solicitou o reconhecimento de firma em uma e uma cópia autenticada da outra. Os cartórios realizaram os serviços sem  saber qual era o teor da reportagem.

Leia também: Aviõezinhos ironizam previsão de queda de aeronave na Paulista

A reportagem também foi a uma agência dos Correios e enviou uma carta vazia, apenas para obter um recibo com data e hora.

Depois do sorteio, os números da Mega-Sena foram incluídos nas duas versões das cartas, que foram apresentadas em conjunto com o recibo do Correios.

Veja o histórico de crimes relacionados à Mega-Sena


Segunda carta, com recibo do Correios e selo de autenticação
Vitor Sorano/iG - 27.11.14
Segunda carta, com recibo do Correios e selo de autenticação

Essa fraude é possível porque nem o Correios nem os cartórios são obrigados a garantir o conteúdo de documentos que não estejam sob a sua guarda.

Por isso, quando você receber uma premonição com carimbo e selo de cartório de algo que de fato aconteceu, pergunte em que cartório foi depositada uma cópia desse documento, e confira se esse documento foi de fato depositado lá - ou se o cartório apenas fez uma cópia autenticada ou reconheceu uma firma.

E lembre-se: nem o recibo do Correios, nem mesmo um aviso de recebimento, garantem o teor de uma carta.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.