MTST fecha avenidas para cobrar compromissos da prefeitura de São Paulo

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo um dos coordenadores do MTST, Josué Rocha, mais de 3 mil pessoasque vivem em três ocupações esperam posicionamento da Secretaria Municipal de Habitação

Agência Brasil

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) paralisou avenidas da capital paulista para cobrar solução de moradia para as ocupações do movimento, no início da noite desta quinta-feira (6). A Avenida Jacu-Pêssego, na zona leste, foi fechada nos dois sentidos. Na zona sul, manifestantes fecharam a Avenida Francisco Morato.

Facebook/Reprodução
Manifestantes sem-teto bloqueiam Avenida Francisco Morato, movimentada via da capital paulista

Segundo um dos coordenadores do MTST, Josué Rocha, mais de 3 mil pessoas que vivem em três ocupações esperam posicionamento da Secretaria Municipal de Habitação. “A nossa proposta é continuar fazendo travamentos [de rua] enquanto a resposta da secretaria não vier”, diz ele, lembrando compromissos assumidos pela administração municipal.

Leia também:
Veja entrevista ao iG do principal líder do grupo, Guilherme Boulos
MTST reúne 12 mil pessoas no Itaquerão: "Queremos nossa reivindicação atendida"
Fim da Copa do Mundo pode abalar poder de negociação do MTST

De acordo com Josué, em junho último a prefeitura prometeu a construção de um conjunto habitacional para os moradores da ocupação Estaiadinha, no Bom Retiro, região central da capital.

Em relação aos residentes da ocupação Numa Pompílio, na Cidade Tiradentes, zona leste, o coordenador diz que houve o compromisso de avaliar o uso do terreno para moradia. Os moradores da ocupação Chico Mendes, na Vila Sônia, zonal sul, também esperam há um mês por definição da prefeitura, segundo ele.

Josué ressalta que os manifestantes não pretendem fazer passeatas: apenas interromper, temporariamente, o tráfego nas vias. Às 19h25, a Avenida Jacu-Pêssego já havia sido liberada, mas às 19h35 o protesto continuava fechando a Avenida Francisco Morato, desocupada pouco depois.

Leia tudo sobre: mtstsem-tetomanifestaçãoprotestoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas