Além de paralisar os 32 terminais, a categoria irá fazer um ato nas redondezas do Terminal Parque Dom Pedro 2º, no centro

Motoristas de ônibus e funcionários da categoria fazem uma paralisação das atividades por duas horas nesta quarta-feira (5), das 10h às 12h. O protesto é contra os ataques a coletivos que vem ocorrendo na capital paulista nos últimos meses.

São Paulo deve ter paralisação de ônibus nesta quarta-feira entre 10h e 14h

Falha em trem prejudica deslocamento dos paulistanos nesta quarta-feira

Além de paralisar os 32 terminais da cidade, a categoria irá fazer um ato nas redondezas do Terminal Parque Dom Pedro 2º, na região Central. Com a manifestação, a circulação dos veículos será totalmente interrompida. Os terminais atendem a 1 milhão de passageiros diariamente.

Os motoristas e cobradores decidiram reduzir em 2h o tempo da paralisação. Os trabalhadores devem parar a circulação dos coletivos e fechar os terminais entre 10h e 12h. Segundo o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas), a Secretaria da Segurança Pública se comprometeu em analisar propostas da categoria para diminuir ataques.

A Secretaria Municipal de Transportes, por sua vez, irá tomar todas as medidas na tentativa de diminuir os transtornos aos passageiros.

Valdevan Noventa, presidente do sindicato, disse que o movimento foi mantido, apesar de a sinalização da secretaria pedir que os usuários apoiem a iniciativa. “Todos nós estamos correndo risco de sermos incendiados dentro dos ônibus. É um trabalho de conscientização. A população deve denunciar e ser contra esse vandalismo”, defendeu. Ele disse ainda que foi escolhido o horário de entrepico para a paralisação com intuito de prejudicar o menor número de pessoas.

Cerca de 100 ônibus das viações Santa Brigida e Sambaíba estão parados dentro e fora do terminal de Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte, desde as 10 horas da manhã, quando foi iniciado o protesto na capital. De acordo com a diretora da Secretaria das Mulheres do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas), Edna Maria de Andrade, o número não inclui os ônibus espalhados pelos corredores da cidade. O terminal atende toda a zona norte e parte da zona oeste da capital.

“Estamos fazendo um protesto a favor da vida contra essa violência que temos hoje”, declara. A sindicalista ressalta que, além do colega que morreu em outubro, outros trabalhadores sofreram queimaduras, ferimentos e outros tipos de agressões. O protesto deve terminar às 12h, segundo os organizadores.

Paralisação de ônibus no Parque Dom Pedro II, região central de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (5)
Marcos Bezerra/Futura Press
Paralisação de ônibus no Parque Dom Pedro II, região central de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (5)

Ataques

O último ataque aconteceu neste domingo (2). Um ônibus foi incendiado em Guaianases, na zona leste da cidade. De acordo com informações da polícia, ninguém se feriu e as causas da ocorrência estão sendo investigadas.

Com este caso, o número de coletivos queimados desde o início deste ano subiu para 141, segundo o sindicato das empresas de ônibus (SPUrbanuss).

* Com Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.