Cemitérios do Rio levam sósias de artistas para andarem entre tumbas

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

São João Batista teve 500 mil visitantes neste domingo

Agência Brasil

Milhares de pessoas tiraram o Dia de Finados, neste domingo (2), para lembrar familiares e ídolos mortos, no Rio de Janeiro. Para atrair o público, os administradores das unidades investiram em eventos especiais. Fez grande sucesso, na avaliação do público, a iniciativa do Cemitério São João Batista, em Botafogo, de levar sósias de artistas famosos sepultados ali, para passear entre as tumbas e contar a história do local. A expectativa era receber 120 mil pessoas.

Quem foi a esta necrópole pode cruzar com sósias de Santos Dumont, do Chacrinha, de Tom Jobim e ainda assistir a performance da atriz que interpretou Carmem Miranda. “Fiquei feliz de homenagear essa diva brasileira, personagem que dá possibilidades incríveis”, contou a artista, Pat Mendes, que estava ansiosa antes da aprovação do público.

Atriz vestida de Carmem Miranda e Bob Lester, 102 anos, músico que tocou com Carmem Miranda, em frente ao túmulo da atriz e cantora no Cemitério São João Batista, no Rio. Foto: Ellan Lustosa/Futura PressFamiliares visitam seus mortos no dia dos Finados (2); foto do cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Foto: José Cruz/Agência BrasilCerimônia no Mausoléu da Polícia Militar do Estado de São Paulo no Cemitério do Araçá, Zona Oeste de São Paulo (SP), neste domingo (2). Foto: Renato S. Cerqueira/Futura PressFamiliares levam flores e acendem velas para seus mortos no cemitério Campo da Esperança, no Distrito Federal. Foto: José Cruz/Agência BrasilMovimentação no túmulo do cantor Reginaldo Rossi, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista (PE), neste domingo (2), Dia de Finados. Foto: Marlon Costa/Futura PressMovimentação no Cemitério Central de São José dos Campos (SP), Cemitério Padre Rodolfo Komorek, na manhã deste domingo (2), Dia de Finados. Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Futura PressNo cemitério Campo da Esperança, em Brasília, familiares levam flores para seus mortos no dia de Finados (2). Foto: José Cruz/Agência BrasilMovimentação no Cemitério Parque Gethsêmani Anhanguera, Zona Oeste de São Paulo (SP), neste domingo . Foto: André Lucas Almeida/Futura PressMovimentação no túmulo do menino Bernardo Uglione Boldrini no Cemitério Municipal de Santa Maria (RS), neste domingo (2), Dia de Finados. Foto: Jader Benvegnú/Futura Press

O Cemitério do Catumbi, promoveu visitadas guiadas no sábado (1), em parceria com o Departamento de Geografia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. A ideia era caminhar entre as tumbas e proporcionar que as pessoas conhecessem a história e arquitetura de um dos cemitérios mais antigos do Rio, onde parte da corte imperial foi enterrada.

Na zona norte, em Ricardo de Albuquerque, ato ecumênico hoje lembrou mortos e desaparecidos da ditadura militar e o alto índice de homicídios de jovens negros. No local, também foi possível cruzar com praticantes das mais variadas religiões, celebrando os mortos.

Com a campanha “O que eu quero fazer antes de morrer?”, inspirada em uma iniciativa que surgiu nos Estados Unidos e espalhou-se pelo mundo, o Cemitério da Penitência, no Caju, na zona norte, incentivou visitantes a deixar mensagens sobre o que se deve fazer antes de falecer. No local, foram organizadas também exposição de grafites e fotografias de projeto social.

Também no Caju, o cemitério São João Batista, um dos maiores do Rio, contabilizou 500 mil visitantes somente neste domingo. Como nos anos anteriores, os túmulos mais visitados foram dos artistas Emilinha Borba, considerada uma das rainhas do rádio, de Tim Maia e Jamelão. O túmulo do autor de livros espíritas Bezerra de Menezes também foi bastante frequentado.

A estimativa do Sindicato dos Estabelecimentos Funerários do Rio de Janeiro era que 1 milhão de pessoas visitassem os 20 cemitérios do Rio, neste final de semana.

Leia tudo sobre: dia de finadosrio de janeirocelebridades

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas